sicnot

Perfil

Mundo

Conselho de Segurança prolonga missão da ONU no Sudão do Sul

© Adriane Ohanesian / Reuters

O Conselho de Segurança das Nações Unidas decidiu na sexta-feira prolongar até 12 de agosto a missão da ONU no Sudão do Sul (UNMISS) para ter mais tempo para negociar um eventual reforço da mesma.

Os 15 membros do Conselho de Segurança adotaram por unanimidade uma breve resolução técnica proposta pelos Estados Unidos para evitar o fim do mandato da missão.

As propostas para reforçar o número de tropas da ONU no Sudão do Sul requerem "mais análise", embora o processo deva ser concluído com "urgência", disse a embaixadora dos Estados Unidos da América nas Nações Unidas, Samantha Power.

A UNMISS conta atualmente com 13.500 elementos, 12 mil dos quais são militares.

O secretário-geral da ONU instou recentemente o Conselho de Segurança a reforçar a missão das Nações Unidas no Sudão do Sul e pediu, entre outras coisas, o envio de helicópteros de combate para defesa da população.

Ban Ki-moon pediu ainda um embargo de armas e colocou a possibilidade de serem aprovadas mais sanções aos líderes do Sudão do Sul em resposta à recente onda de violência e combates.

Na quinta-feira, o secretário-geral da ONU avisou que o Sudão do Sul está à beira do abismo, na sequência da intensificação dos confrontos e de uma vaga de violência sexual.

Perante o Conselho de Segurança das Nações Unidas, Ban Ki-moon afirmou estar "chocado pela escala da violência sexual", numa referência aos relatos de funcionários da organização que dão conta de pelo menos 120 casos de violações nas últimas três semanas.

Os combates entre unidades militares rivais na capital do país, Juba, entre 8 e 11 de julho, deixaram pelo menos 300 mortos e milhares de deslocados.

Independente desde 2011 após uma cisão do Sudão, o Sudão do Sul (o mais jovem país do mundo) está dilacerado por uma guerra civil marcada por massacres interétnicos que causaram dezenas de milhares de mortos e perto de três milhões de deslocados desde dezembro de 2013.

Este mês, os violentos combates registados na capital sul-sudanesa comprometeram um acordo de paz assinado em agosto de 2015.

No início de julho, líderes africanos aprovaram um plano que prevê a criação de uma força de proteção regional para o Sudão do Sul e pediram ao Conselho de Segurança da ONU para autorizar um mandato para esta futura brigada de intervenção.

"Existe um projeto de resolução em desenvolvimento", disse esta semana o embaixador britânico junto da ONU Matthew Rycroft.

Os 13.500 elementos que integram a UNMISS têm sido criticados por não terem conseguido travar a nova vaga de confrontos, bem como por terem falhado na proteção de civis durante os combates.

Perante o aumento de casos de violações, os operacionais da missão da ONU reforçaram as patrulhas perto da base da UNMISS e em Juba, segundo indicou o porta-voz da ONU, Farhan Haq.

Também estão a acompanhar as mulheres que saem para recolher lenha, por exemplo.

Lusa

  • Marcelo lembra as consequências da demissão de Vítor Gaspar
    1:06

    Caso CGD

    O Presidente da República reitera que o assunto Caixa Geral de Depósitos está fechado. Em entrevista à TVI, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou esta segunda-feira as consequências que a demissão de Vítor Gaspar, ministro das Finanças em 2013, provocou no sistema financeiro para justificar o facto de ter intervindo na polémica com as SMS trocadas entre Mário Centeno e António Domingues.

  • PSD e CDS admitem chamar António Costa à nova Comissão de Inquérito à CGD
    2:37

    Caso CGD

    PSD e CDS admitem chamar o primeiro-ministro à nova Comissão de Inquérito à CGD. Apesar de ser uma hipótese, a SIC sabe que os dois partidos ainda estão a definir o objeto do inquérito e, por isso, afirmam que é prematuro falar sobre eventuais audições. Seja como for, António Costa voltou esta segunda-feira a dizer que o assunto está encerrado.

  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • Avioneta despenha-se em centro comercial de Melbourne

    Mundo

    Uma avioneta com cinco pessoas a bordo caiu num centro comercial perto do aeroporto de Essendon em Melbourne, capital da Austrália. Segundo a polícia do estado de Vitória tratava-se de um voo charter com destino a King Island, situada entre a parte continental da Austrália e a ilha da Tasmânia.

  • Pelo menos 18 detidos em protestos no Rio de Janeiro

    Mundo

    Pelo menos 18 pessoas foram esta segunda-feira detidas no Rio de Janeiro, Brasil, depois de confrontos com a polícia durante um protesto contra a privatização da empresa pública de saneamento, que serve o terceiro estado mais povoado do país.

  • O momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado
    1:21

    Mundo

    A investigação ao homicídio do meio-irmão do líder da Coreia do Norte no aeroporto da capital da Malásia está a provocar uma crise diplomática entre os dois países. Esta segunda-feira, um canal de televisão japonês divulgou imagens das câmaras de vigilância do aeroporto que alegadamente captam o momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado.

  • O atentado na Suécia inventado por Donald Trump
    2:12
  • Os ensaios para a maior festa do ano
    1:16

    Mundo

    Em contagem decrescente para o Carnaval, no Rio de Janeiro, já começaram os ensaios para a maior festa do ano. A noite de testes na avenida Marquês de Sapucaí conta com desfiles gratuitos.