sicnot

Perfil

Mundo

Dezenas de famílias abandonam Alepo através de corredor humanitário

© Abdalrhman Ismail / Reuters

Dezenas de famílias que estavam retidas na cidade de Alepo deixaram o setor rebelde desta cidade, no norte da Síria, através de um corredor humanitário aberto pelo regime, informou hoje a agência de notícias SANA.

O Observatório Sírio dos Direitos do Homem (OSDH) deu ainda conta da saída, hoje, "de um número considerável de civis" do setor Este desta cidade síria, através de uma passagem no bairro de Salaheddine.

"Dezenas de famílias abandonaram esta manhã os bairros Este de Alepo através de corredores (...) abertos para retirar os cidadãos retidos pelos grupos terroristas (rebeldes)", segundo a agência de notícias síria.

Segundo a SANA, "os soldados receberam as famílias que foram transportadas em autocarros rumo a abrigos temporários".

Além destas famílias, "um grupo de mulheres com mais de 40 anos também saiu dos bairros Este de Alepo através da passagem de Salaheddine", um bairro que é atravessado pela linha de separação entre os setores rebelde (Este) e o regime (Oeste).

Após duas semanas de bombardeamentos e de ocupação, o regime abriu corredores humanitários, com o apoio dos aliados russos, para encorajar os civis e os combatentes dispostos a depor as armas a saírem dos bairros rebeldes, com o objetivo de recuperar a segunda cidade do país e a declarar vitória na guerra.

Desde 17 de julho que mais de 250 mil pessoas estão retidas no setor rebelde de Alepo, sem acesso aos bens essenciais.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.