sicnot

Perfil

Mundo

França quer estruturar islão no país para o libertar do radicalismo

© Philippe Wojazer / Reuters

O primeiro-ministro francês afirmou hoje que o Estado vai intervir para estruturar o islão no país e libertá-lo do radicalismo, e pediu aos muçulmanos que ajudem a combater os que, em seu nome, questionam as liberdades públicas.

"O nosso país deve demonstrar ao mundo inteiro de forma brilhante que o islão é compatível com a democracia", sublinhou Manuel Valls num artigo hoje publicado pelo jornal "Le Jour du Dimanche", em reação ao debate suscitado pelos últimos atentados jiadistas em França, como aquele em que um padre foi morto numa igreja na Normandia.

O governante francês disse que as autoridades são e serão "implacáveis contra os que professam o ódio e fazem a apologia da violência", que os centros religiosos onde isso é feito "são e serão sistematicamente encerrados" e que quando os prevaricadores sejam estrangeiros serão expulsos do país.

Também vão ser criados centros de reinserção para pessoas radicalizadas (o primeiro abre em setembro) e haverá uma mobilização das administrações públicas e da sociedade civil, segundo Valls, que disse ainda que há uma questão pendente que é "a construção do islão em França".

"O Estado não tem que se ocupar da teologia, mas pode ajudar na criação de instituições de formação sólidas, com base em diplomas universitários abertos", disse ainda o primeiro-ministro francês.

O objetivo é que os imãs e os capelães muçulmanos que exerçam em França "tenham de ser apenas formados em França", que deverá "converter-se num centro de excelência europeu no ensino da teologia muçulmana".

Manuel Valls faz assim uma mudança na política desenvolvida pelo seu governo, que assinou em setembro do ano passado um acordo com Marrocos para enviar imãs para formação para este país norte-africano.

O primeiro-ministro socialistas assinala que o laicismo deve ser "o escudo" para o povo se proteger das intenções dos terroristas de dividir o país apoiando-se no islamismo radical, mas também que "há que ter a lucidez de reconhecer que é urgente ajudar o islão de França a desembaraçar-se dos que o minam a partir de dentro".

Lusa

20160731T125734

  • Depois do Fogo
    0:25

    Reportagem Especial

    Uma semana depois do incêndio de Pedrogão Grande são muitas as histórias de perda e de sobrevivência, mas também de solidariedade de pessoas anónimas, que não dormiram durante dias a fio, para apoiar na logística do difícil combate ao incêndio florestal mais mortífero de que há memória. Depois do Fogo, hoje no Jornal da Noite.

  • Portugal "precisa avançar no trabalho" para reduzir crédito malparado
    1:36

    Economia

    Bruxelas recomenda e insiste que o Governo português avance no trabalho para resolver o crédito malparado. Em entrevista à SIC e ao Expresso, o vice-Presidente da Comissão para o Euro e Estabilidade Financeira, Valdis Dombrovskis, adianta que Bruxelas está também a preparar um Plano de Ação ao nível europeu.

    Entrevista SIC/Expresso

  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.