sicnot

Perfil

Mundo

Papa Francisco recusa associar islão e violência

O papa Francisco recusa associar islão e violência, explicando que os católicos podiam ser igualmente violentos e advertiu a Europa que está a empurrar parte dos jovens para o terrorismo.

"Não creio que seja justo associar islão e violência", declarou Francisco, ao ser questionado sobre o recente homicídio de um padre em França por dois extremistas islâmicos e a opção de nunca mencionar o islão quando condena este tipo de atentados.

"Todos os dias, quando abro os jornais, vejo violência em Itália, alguém que mata a namorada, outro que mata a sogra e são católicos batizados. "Se falo de violência islâmica, também tenho de falar da violência cristã. Em quase todas as religiões, há sempre um pequeno grupo de fundamentalistas. Nós também os temos", explicou Jorge Bergoglio, em declarações aos jornalistas a bordo do avião na viagem de regresso da Polónia.

Como em várias intervenções ao longo da viagem de cinco dias, por ocasião das Jornadas Mundiais da Juventude, em Cracóvia, o papa Francisco garantiu que a religião não era o verdadeiro motor da violência.

"Podemos matar tanto com a língua, como com uma faca", afirmou, numa referência ao crescimentos dos partidos populistas que incitam ao racismo a à xenofobia.

O terrorismo "prospera quando o deus do dinheiro é colocado em primeiro" lugar e "quando não há outra opção".

"Quantos entre os nossos jovens europeus abandonámos sem ideiais, sem trabalho. Então eles voltam-se para as drogas, o álcool e aderem aos grupos fundamentalistas", considerou.

Os representantes muçulmanos em França e na Itália mostraram também recusar associar islão e violência ao participar na missa em igrejas católicas, esta manhã, em sinal de solidariedade e fraternidade, cinco dias depois do homicídio de um padre francês, em Rouen, no norte de França.

Lusa

  • Vem lá chuva

    País

    A chuva vai voltar a Portugal continental a partir de quarta-feira e pelo menos até domingo, enquanto as temperaturas mínimas deverão subir.

  • "O Sporting é o um barco à deriva"
    2:26
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    A crise do Sporting foi o principal tema em O Dia Seguinte, esta segunda-feira. José Guilherme Aguiar censura Bruno de Carvalho por ter convidado Jorge Jesus para a comissão de honra da recandidatura. Já Rogério Alves não tem dúvidas que a contestação tem aumentado de tom devido à proximidade das eleições do Sporting. Rui Gomes da Silva pensa que toda a direção leonina é responsável pelo mau momento atual do clube.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Violação emitida em direto no Facebook

    Mundo

    Três homens foram detidos na Suécia, por suspeitas de violação de uma mulher, num apartamento a 70 quilómetros da capital. Os suspeitos filmaram o ato de violência e exibiram-no em direto no Facebook.

  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.