sicnot

Perfil

Mundo

Papa dá conselhos para casamento feliz nas Jornadas Mundiais da Juventude

Nas Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), que terminam este domingo em Cracóvia, no sul da Polónia, a oração não foi a única preocupação de centenas de milhares de jovens católicos, alguns também procuravam encontrar um amor.

Cerca de 400 mil jovens católicos viajaram de 187 países para o evento e pelo menos um milhão mais de pessoas, muitos das quais polacas, assistiram à missa celebrada pelo papa esta manhã.

"As JMJ podem funcionar um bocadinho como 'casamenteiras'", disse Sophie Jubin, uma suíça de 20 anos.

"O objetivo é encontrar alguém com os mesmos valores que os teus, mas no nosso grupo há 250 raparigas e 50 rapazes, por isso muitos raparigas ficaram dececionadas", acrescentou.

"Encontrar um amor não é o principal tópico das JMJ, é um extra, mas estou muito feliz por a Aleksandra estar aqui", disse Ignacio, um espanhol de 18 anos, sobre a nova namorada, uma estudante polaca de 22 anos.

Aleksandra considerou ser "mais fácil encontrar alguém na JMJ porque a atmosfera deixa as pessoas mais recetivas".

Da varanda onde abençou os jovens quase todas as noites, no arcebispado de Cracóvia, o papa Francisco ofereceu também conselhos para um casamento harmonioso.

"Os jovens perguntam-me muitas vezes como criar uma família feliz e eu proponho quatro palavras: Por favor, desculpa e obrigado", afirmou o papa argentino.

"É normal que marido e mulher discutam, algumas vezes pratos podem voar... não tenham medo destas situações", advertiu o líder de 1,2 mil milhões de católicos romanos.

"Mas nunca adormeçam sem fazer as pazes, porque uma 'guerra fria' no dia seguinte pode ser muito perigosa. E é preciso perguntar sempre qual a opinião da mulher ou do marido e nunca impor a nossa", acrescentou Francisco.

Lusa

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram divulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.