sicnot

Perfil

Mundo

Estudo sobre depressão fornece nova explicação genética

Um grande estudo confirma a influência dos genes no risco de depressão nas pessoas de origem europeia, um passo para melhor compreender a componente biológica desta doença e ajudar ao desenvolvimento de novos tratamentos.

Embora se saiba que a depressão não se limita apenas aos aspetos psicológicos e pode atingir famílias inteiras, a maioria dos estudos anteriores não conseguiu identificar as variações genéticas que influem no risco de depressão, em particular nas pessoas de ascendência europeia.

Realizado por investigadores norte-americanos, este novo estudo, hoje publicado na revista especializada Nature Genetics, identificou 17 variações genéticas de risco potencial, repartidas por 15 regiões do genoma.

O trabalho descreve "as primeiras associações genéticas representativas com o risco de Transtorno Depressivo Major (TDM) nos indivíduos de origem europeia", sublinha a revista.

Este vasto estudo, classificado como "pangenómico", engloba mais de 121.000 pessoas que declararam ter-lhes sido diagnosticada uma depressão ou ter recebido tratamento para a doença. Estão também incluídas 338.000 pessoas que declararam não ter antecedentes de depressão.

Os investigadores utilizaram os dados provenientes da empresa norte-americana de genética 23andMe, que vende testes de ADN a particulares para avaliar o seu risco genético de desenvolver determinadas doenças.

"A identificação dos genes que têm influência no risco de uma doença é uma primeira etapa para a compreensão da biologia da própria doença", explica Roy Perlis, do Massachusetts General Hospital, coautor do trabalho.

"Esperamos que a descoberta destes genes nos oriente para novas estratégias de tratamento", acrescenta o especialista, também professor agregado de psiquiatria na Harvard Medical School.

Um estudo recente tinha identificado duas variações genéticas (ou mutações) que podem contribuir para o risco de desenvolver esta doença nas mulheres chinesas, mas tais mutações são extremamente raras noutras populações.

Esta análise identificou nomeadamente genes do sistema nervoso e genes envolvidos no desenvolvimento do cérebro, bem como um gene anteriormente associado à epilepsia e ao défice intelectual.

Em termos mais gerais, Roy Perlis estima que "encontrar genes associados à depressão deverá ajudar a dizer claramente que se trata de uma doença do cérebro", esperando assim "diminuir a estigmatização" dos doentes.

A depressão atinge mais de 350 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Lusa

  • "Há uma grande diferença em relação à anterior liderança do PSD"
    14:29

    País

    O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, esteve esta quarta-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. As novas relações com o PSD e a reprogramação do Portugal 2020 foram alguns dos temas de conversa. Pedro Marques defende que existe "uma grande diferença" entre as lideranças de Passos Coelho e Rui Rio no PSD.

    Entrevista SIC Notícias

  • Dia de homenagens e muito futebol para Marcelo em São Tomé
    3:01

    País

    No segundo dia da visita de Estado a São Tomé e Príncipe, o Presidente da República prestou homenagem às vítimas do massacre de Batepá, em 1953. Marcelo Rebelo de Sousa não pediu desculpa pela história, mas lembrou que é preciso assumir as coisas menos boas do passado. O dia terminou com o Presidente a mostrar que ainda está em forma.

    Enviados SIC

  • Patinadora enfrenta "pesadelo" nos Olímpicos

    Desporto

    A patinadora Gabriella Papadakis enfrentou na segunda-feira um dos "piores pesadelos" da sua vida, durante a estreia nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Durante a apresentação, a parte de cima do vestido da francesa saiu do lugar e revelou parte do seu seio. Mas este não foi o único caso de incidentes com figurinos. Também a sul-coreana Yura Min quase ficou despida durante a sua apresentação.

    SIC

  • Casal mantinha filhos trancados sem comida

    Mundo

    Se pensava que só existia uma casa dos horrores, a da família Turpin, desengane-se. A polícia de Tucson, no estado norte-americano do Arizona, deteve na terça-feira um casal que mantinha os quatro filhos adotivos trancados em quartos separados.

    SIC

  • Pigcasso, a porca pintora que tem uma galeria de arte

    Mundo

    O nome sugere o talento da artista que vive na Cidade do Cabo, na África do Sul. Pigcasso estava prestes a morrer, quando foi resgatada por uma ativista que a ajudou a enveredar pelo caminho da pintura. Desde pequena começou a pegar em pincéis e agora é o primeiro animal do mundo com uma galeria de arte, onde já lançou a sua primeira exposição intitulada 'Oink!'.