sicnot

Perfil

Mundo

Helicóptero militar russo abatido no noroeste da Síria

​Um helicóptero militar russo que participava numa operação humanitária em Alepo foi abatido na província de Idleb, no noroeste da Síria, e os cinco ocupantes do aparelho morreram, anunciaram hoje autoridades russas.

© Ammar Abdullah / Reuters

"A 01 de agosto, na província de Idleb, disparos feitos do solo abateram um helicóptero de transporte militar Mi-8 que regressava à base aérea de Hmeimim depois de entregar ajuda humanitária na cidade de Alepo", informou o Ministério da Defesa em comunicado.

Um porta-voz do Ministério citado pelas agências russas precisou que a bordo seguiam três tripulantes e dois oficiais e que se desconhecia na altura o seu estado e paradeiro, mas a presidência russa precisou mais tarde que todos os cinco morreram na queda do aparelho.

© Ammar Abdullah / Reuters

O conflito que desde 2011 opõe o regime sírio a grupos opositores e organizações jihadistas já fez mais de 280 mil mortos.

Segundo a organização não-governamental Observatório Sírio dos Direitos Humanos, no mês de julho morreram pelo menos 4.794 pessoas, menos que em junho, quando se registaram 4.823 mortes.

Entre os mortos de julho figuram 1.590 civis, 341 deles crianças, a maioria (779) vítimas de bombardeamentos das forças do regime e russas. Pelo menos 45 outros foram mortos por membros do grupo extremista Estado Islâmico, 163 por disparos de grupos rebeldes e 148 por bombardeamentos da coligação internacional, entre outros motivos.

© Ammar Abdullah / Reuters

Por outro lado, pelo menos 617 membros de grupos sírios e curdos que combatem o regime foram mortos em julho, 1.262 combatentes estrangeiros do Estado Islâmico e do ramo da Al-Qaida na Síria, a Frente al-Nosra e três desertores do exército sírio.

Nas fileiras do regime registaram-se 554 mortes de membros das forças regulares e 643 de membros de milícias aliadas do regime, segundo o Observatório.

Lusa

© Ammar Abdullah / Reuters

  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.