sicnot

Perfil

Mundo

Polícia turca deteve 11 soldados suspeitos de ataque contra Presidente

© Osman Orsal / Reuters

Forças de segurança turcas detiveram 11 soldados fugitivos suspeitos de terem participado num ataque ao hotel onde estava hospedado o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, na noite de tentativa de golpe de Estado, anunciou hoje o vice-primeiro-ministro.

Numan Kurtulmus disse em conferência de imprensa que os 11 soldados foram detidos em Ula, nas proximidades da localidade de Marmaris, no sudoeste da Turquia, onde o ataque foi perpetrado.

Segundo Numan Kurtulmus, um soldado continua em fuga.

Erdogan estava hospedado num hotel em Marmaris a 15 de julho, mas deslocou-se para a cidade de Istambul pouco antes de o hotel ter sido atacado por soldados envolvidos num alegado golpe de Estado.

Um funcionário do Ministério do Interior que não quis ser identificado afirmou, citado pela agência de notícias francesa AFP, que os presos faziam parte de um "esquadrão da morte" e informou que a operação noturna que levou à captura dos soldados seguiu sugestões de habitantes locais.

Os soldados estavam escondidos em terrenos sobranceiros ao hotel desde a ação militar e foram descobertos por habitantes locais enquanto iam à caça e à procura de alimentos.

O funcionário acrescentou que "houve troca de tiros durante a operação" e que "foram usados 'drones' e helicópteros para assinalar o local".

Na sequência da tentativa de golpe militar, a 15 de julho, o executivo turco declarou o estado de emergência e desencadeou uma purga em diversos organismos estatais e setores da sociedade turca para localizar os alegados seguidores de Fethullah Gülen, o clérigo e opositor exilado nos Estados Unidos que Ancara acusa de ter patrocinado o golpe.

Duas semanas depois da tentativa de golpe, o Presidente turco continua a reforçar o seu controlo do país.

No total, 10.000 pessoas permanecem em prisão preventiva na Turquia acusadas de envolvimento no golpe militar, onde se incluem 5.000 militares, entre eles 151 generais ou almirantes, 3.000 oficiais de diversas patentes, cerca de 1.000 soldados e 700 cadetes.

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41