sicnot

Perfil

Mundo

Governo turco divide serviços secretos

O governo da Turquia vai dividir os poderosos serviços secretos (MIT) em duas entidades, uma para a espionagem externa e outra para a vigilância interna, noticiou hoje o jornal turco Hurriyet.

O MIT foi alvo de duras críticas depois da tentativa de golpe de Estado de 15 de julho, efetuada por um grupo de militares contra o presidente Recep Tayyip Erdogan e o seu governo.

O chefe de Estado turco lamentou que o MIT tenha demorado muito tempo a informar a presidência dos acontecimentos, afirmando ter tomado conhecimento da tentativa de golpe de Estado pelo cunhado.

Na segunda-feira, o vice-primeiro-ministro Numan Kurtulmus declarou "estar prevista" uma restruturação dos serviços secretos, depois de Erdogan ter já procedido a uma profunda reforma das forças armadas.

De acordo com o Hurriyet, a futura agência de vigilância interna estará, em grande parte, a cargo da polícia e da guarda, duas instituições que dependem agora do ministério do Interior, na sequência das reformas adotadas depois da tentativa de golpe de Estado.

Os serviços encarregados da espionagem externa vão depender diretamente da presidência, que vai também dispor de uma unidade coordenadora das atividades das duas novas agências.

O poder turco está a limitar os privilégios das forças armadas depois da tentativa de golpe de Estado, entregando mais competências às autoridades civis.

"É necessário criar um sistema onde ninguém possa voltar a cometer um golpe de Estado", com um "sistema de informações da mais alta qualidade", afirmou na segunda-feira o vice-primeiro-ministro turco.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.