sicnot

Perfil

Mundo

Kremlin nega contactos entre Presidente Putin e candidato Trump

O Kremlin negou esta terça-feira que o Presidente russo, Vladimir Putin, teve contactos com o candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, apesar da troca de elogios mútua.

"Já dissemos muitas vezes. O Presidente Putin nunca teve contacto com o Trump. Nunca conversou com ele, nem por telefone", disse Dmitry Peskov, diplomata russo, em declarações ao canal norte-americano NBC, segundos os meios de comunicação russos.

Lamentou ainda que "os ataques à Rússia são frequentes durante as eleições norte-americanas", referindo-se às acusações da envolvência russa no ataque pirata a milhares de e-mails do Comité Nacional Democrata (DNC) de forma a favorecer Donald Trump, algo que o Kremlin considera "absurdo".

Trump já expressou, por diversas vezes, a sua vontade de manter boas relações com o chefe do Kremlin, que recentemente descreveu o candidato republicano como uma "pessoa brilhante".

O atual Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse hoje que se o envolvimento da Rússia no ciberataque à DNC for confirmado, vai representar um "verdadeiro problema", contudo não mudará "drasticamente" a relação "já dura e difícil" entre ambos os países.

"As afirmações de que a Rússia dirige as ações dos piratas são absurdas (...) não há dúvida de que as estruturas governamentais russas não estão envolvidas e nunca se dedicaram ao ciberterrorismo", disse a candidata democrata à Presidência dos EUA, Hillary Clinton.

Vladimir Putin acusou diretamente a candidata Clinton de instigar as finais de 2011 dos maiores protestos antigovernamentais da história russa, depois das alegações de fraude a favor do partido do Kremlin nas eleições legislativas.

Lusa

  • Catalunha vs Espanha
    29:35

    Grande Reportagem SIC

    2017 ficará como o ano da Catalunha e de como a região espanhola foi falada em todo o mundo, por causa do grito de independência que não aconteceu. O jornalista Henrique Cymerman esteve na Catalunha e foi um dos poucos repórteres do mundo que conseguiu chegar ao esconderijo do presidente demissionário do Governo catalão, Carles Puigdemont, em Bruxelas.