sicnot

Perfil

Mundo

Ban Ki-moon expressa "profunda preocupação" com ensaio norte-coreano de mísseis

O secretário-geral da ONU Ban Ki-moon expressou "profunda preocupação" com o ensaio de mísseis efetuado esta quarta-feira pela Coreia do Norte e que está na base da realização de uma reunião de emergência do Conselho de Segurança.

"Uma vez mais estamos profundamente preocupados com o último lançamento de mísseis", disse o porta-voz do secretário-geral da ONU, Stéphane Dujarric, na sua conferência de imprensa diária.

Para o chefe das Nações Unidas, este tipo de ações "minam seriamente a paz e a estabilidade" na região.

O Conselho de Segurança da ONU vai reunir-se novamente de emergência, a pedido dos Estados Unidos e do Japão.

A Coreia do Norte lançou hoje dois mísseis balísticos de médio alcance, mas um terá explodido logo após a descolagem, segundo fontes militares norte-americanas.

O segundo caiu no Mar do Japão, cerca de 250 quilómetros ao largo da costa norte do Japão e dentro da Zona Económica Exclusiva (ZEE) japonesa.

É a primeira vez que um míssil norte-coreano cai em águas territoriais japonesas.

A reunião do Conselho de Segurança começa às 16:00 locais (21:00 em Lisboa).

O Conselho de Segurança das Nações Unidas tem condenado repetidamente os lançamentos de mísseis pela Coreia do Norte. Desde o primeiro, em 2006, o país foi alvo de cinco pacotes de sanções da ONU.

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.