sicnot

Perfil

Mundo

Autor de ataque com faca em Londres era noruegês de origem somali

Autor de ataque com faca em Londres era noruegês de origem somali

Um jovem norueguês de origem somali esfaqueou ontem à noite seis pessoas numa praça do centro de Londres. Uma delas, uma americana de 60 anos morreu. Tudo indica que o atacante sofria de distúrbios mentais e não há provas de radicalização, mas a polícia confirma que a investigação está a ser apoiada pela unidade contra terrorismo da Scotland Yard.

"Até ao momento não encontrámos provas de radicalização que poderiam sugerir que o homem sob custódia agiu por motivos terroristas", disse o comissário assistente da Scotland Yard, Mark Rowley, aos jornalistas.

O jovem de 19 anos, um norueguês de origem somali, foi detido pouco depois do ataque à faca realizado na Russell Square, no centro de Londres, tendo agido de maneira "espontânea" e "ao acaso", acrescentou o responsável policial.

"A mulher, de cerca de 60 anos, que foi morta era norte-americana", disse o comissário.

Entre os cinco feridos no ataque, duas mulheres e três homens, estão cidadãos de nacionalidade australiana, norte-americana, israelita e britânica, acrescentou Rowley.

O jovem está sob custódia numa esquadra da polícia no sul de Londres, segundo um comunicado da polícia. O departamento de homicídios e crimes graves está a comandar as investigações, apoiados por membros do comando antiterrorista.

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida