sicnot

Perfil

Mundo

Emitido mandado de captura contra Fethullah Gülen

Um tribunal de Istambul emitiu esta quinta-feira um mandado de captura dirigido a Fethullah Gülen, o clérigo turco exilado nos Estados Unidos, acusado por Ancara de ser o mentor do fracassado golpe de Estado, anunciou a agência noticiosa Anadolu.

O mandado de captura acusa o ex-imã, exilado no Estado da Pensilvânia desde 1999, de "ter ordenado a tentativa de golpe de Estado de 15 de julho", que fez vacilar o poder durante algumas horas e provocou 272 mortos.

Esta decisão abre caminho a um pedido formal de extradição do "principal inimigo" do Presidente turco Recep Tayyip Erdogan e que deverá ser dirigido a Washington.

Os mais altos responsáveis turcos já exigiram por numerosas vezes aos Estados Unidos a extradição de Gülen.

As autoridades norte-americanas solicitaram por sua vez o envio de provas sobre o envolvimento de Gülen na tentativa de derrube do poder em Ancara.

A Turquia afirma ter já enviado por duas vezes dossiês sobre o papel de Gülen no golpe de Estado, mas o antigo aliado do Presidente Erdogan tem desmentido todas as acusações.

O dossiê sobre a extradição arrisca-se a originar uma crise duradoura nas relações turco-americanas.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.