sicnot

Perfil

Mundo

Juncker diz que seria "um grave erro" fechar à Turquia a porta de adesão à UE

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker considerou esta quinta-feira em declarações à televisão alemã que o fim das negociações de adesão da Turquia à União Europeia (UE) seria "um grave erro de política externa", após um apelo nesse sentido da Áustria.

"Neste momento, se dermos a entender à Turquia que, qualquer que seja a situação, a UE não está pronta para aceitar a Turquia, isso seria quanto a mim um grave erro de política externa", disse em declarações à cadeia televisiva ARD numa entrevista que será difundida domingo mas com a divulgação prévia de alguns excertos.

Previamente, o chanceler austríaco Christian Kern tinha considerado que a UE deverá pôr termo às negociações de adesão com a Turquia definidas como uma "ficção" na atual situação.

"Devemos enfrentar a realidade, as negociações de adesão não são mais que ficção", declarou na noite de quarta-feira aos media austríacos, acrescentando que "as normas democráticas turcas estão longe de ser suficientes para justificar a sua adesão".

Kern acrescentou que pretende um debate sobre esta questão no decurso do Conselho Europeu previsto para 16 de setembro.

O ministro turco dos Negócios Estrangeiros, Omer Celik, reagiu de imediato ao considerar "extremamente perturbantes" as declarações do primeiro-ministro austríaco.

"A crítica é um direito democrático, mas deve existir uma diferença entre a crítica e adotar uma atitude anti-turca", acrescentou.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.