sicnot

Perfil

Mundo

Candidatos a secretário-geral da ONU enfrentam hoje nova votação

António Guterres foi o favorito no primeiro escrutínio do Conselho de Segurança da ONU.

© Pierre Albouy / Reuters

O Conselho de Segurança das Nações Unidas faz hoje uma nova votação sobre os candidatos a secretário-geral da organização, depois de o antigo primeiro-ministro português António Guterres ter surgido como o favorito numa primeira votação.

Na primeira ronda informal, em 21 de julho em Nova Iorque, o ex-primeiro-ministro português recebeu 12 votos de encorajamento e três "sem opinião" e não teve nenhum voto contra a sua candidatura à liderança da ONU.

Durante a votação, cada um dos 15 membros do Conselho de Segurança indica se "encoraja", "desencoraja" ou manifesta-se "sem opinião" sobre os candidatos.

Este facto pode ser decisivo na eleição, uma vez que o novo secretário-geral precisa da aprovação de todos os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança (Estados Unidos da América, Reino Unido, Rússia, França e China), que têm poder de veto.

Dos restantes candidatos a suceder a Ban Ki-moon, o esloveno Danilo Turk recebeu 11 votos de apoio e dois votos contra.

Depois, surgiu a ex-ministra dos Negócios Estrangeiros búlgara e diretora da UNESCO, Irina Bokova, com nove votos de encorajamento e quatro de desencorajamento.

Seguiram-se Vuk Jeremic, da Sérvia, e Helen Clark, da Nova Zelândia.

Os últimos lugares ficaram para Miroslav Lajcak, Eslováquia, Susana Malcorra, da Argentina, Christiana Figueres, da Costa Rica, Natalia Gherman, da Moldávia, Igor Luksic, de Montenegro. Vesna Pusic, da Croácia, ficou em último, com 11 votos negativos.

Entretanto, a croata Vesna Pusic anunciou quinta-feira que desistia da corrida, sendo até agora a única candidata a renunciar.

A organização espera ter encontrado durante o outono o sucessor de Ban Ki-moon, que termina o seu segundo mandato no final deste ano.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.