sicnot

Perfil

Mundo

China, Afeganistão, Paquistão e Tajiquistão anunciam aliança antiterrorista

A China anunciou a criação de uma "aliança de segurança" com o Afeganistão, Paquistão e Tajiquistão, visando impulsionar "o combate à ameaça do terrorismo", que Pequim associa aos movimentos separatistas no noroeste do país.

O acordo foi celebrado entre Fang Fenghui, membro da Comissão Militar Central - órgão chefiado pelo Presidente chinês, Xi Jinping - e representantes dos referidos países, em Urumqi, capital da região autónoma de Xinjiang.

Com uma área quase 18 vezes maior que Portugal e com cerca de 23 milhões de habitantes, Xinjiang é uma das regiões da China mais vulneráveis ao separatismo.

Nos últimos anos, conflitos entre os Han, a principal etnia da China, e os uigures, maior etnia do Xinjiang, de religião muçulmana e cultura turcófona, causaram centenas de mortos naquela região.

Pequim atribui a violência ao Movimento Islâmico do Turquestão Oriental, uma organização que reclama a independência do Xinjiang.

Segundo a agência oficial Xinhua, os quatro países admitiram que o extremismo constitui uma "séria ameaça" à estabilidade regional.

As partes concordaram estabelecer um "mecanismo conjunto", para partilhar informações entre os serviços de inteligência e formar equipas de segurança, detalhou a agência.

Entre os representantes constou o diretor de pessoal do exército do Afeganistão, o general Qadam Shah Shaheem, o chefe do exército do Paquistão, o general Raheel Sharif, e o diretor de pessoal das Forças Armadas do Tajiquistão, o general E.A.Cobidroza.

O acordo é anunciado na mesma semana em que Pequim aumentou as competências do Xinjiang na adoção de uma controversa lei Antiterrorista, aprovada este ano, com medidas que incluem a colocação em solitária de "radicais" detidos.

Comunidades uigures no exílio atribuem os episódios de violência na região, e em outras zonas da China, à repressão que afirmam sofrer por parte de Pequim.

Lusa

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • As polémicas do primeiro mês de Donald Trump como Presidente
    3:17
  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Matteo Renzi demite-se da liderança do Partido Democrático

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi demitiu-se hoje da liderança do Partido Democrata (PD), uma decisão que faz parte de uma estratégia para retomar o controlo da formação de centro-esquerda, onde uma minoria mais à esquerda ameaça cindir-se.