sicnot

Perfil

Mundo

Clérigo Fethullah Gülen diz que justiça turca não é independente

© Charles Mostoller / Reuters

O clérigo turco exilado nos EUA Fethullah Gülen, visado por um mandado de prisãode Ancara, que o acusa de ser o mentor do recente golpe de Estado fracassado, denunciou hoje a falta de independência da justiça turca.

"Está bastante documentado que o sistema judiciário turco não é independente, pelo que o mandado de prisão é mais um exemplo da tendência do Presidente Erdogan para o autoritarismo e para se afastar da democracia", afirmou Gülen, em comunicado.

Um tribunal de Istambul emitiu na quinta-feira um mandado de captura dirigido a Fethullah Gülen.

O mandado de captura acusa o ex-imã, exilado nos Estados Unidos desde 1999, de "ter ordenado a tentativa de golpe de Estado de 15 de julho", que provocou 272 mortos.

Esta decisão abre caminho a um pedido formal de extradição do "principal inimigo" do Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Os mais altos responsáveis turcos já exigiram por numerosas vezes aos Estados Unidos a extradição de Gülen.

As autoridades norte-americanas solicitaram por sua vez o envio de provas sobre o envolvimento de Gülen na tentativa de derrube do poder em Ancara.

A Turquia afirma ter já enviado por duas vezes dossiês sobre o papel de Gülen no golpe de Estado fracassado, mas o antigo aliado do Presidente Erdogan tem desmentido todas as acusações.

Lusa

  • Espanha e Portugal a um ponto dos oitavos

    Mundial 2018 / Irão

    A Espanha colocou-se esta quarta-feira a um ponto dos oitavos de final do Mundial 2018 e deixou Portugal em situação idêntica, ao vencer o Irão por 1-0, em jogo do grupo B, disputado em Kazan.

  • Os momentos que marcaram o 7.º dia de Mundial
    1:08
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Os momentos descontraídos dos jogadores
    1:54
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O humor russo
    1:32
  • Schulz responde a Trump: "é um especialista em estatísticas criminais"

    Mundo

    "Donald Trump é um especialista em estatísticas criminais: pagamentos a estrelas porno, contactos ilegais com russos e diretores de campanha presos". Foi assim que o deputado alemão Martin Schulz respondeu ao Presidente norte-americano, depois de este ter afirmado várias vezes que a criminalidade na Alemanha aumentou devido à imigração.

    SIC

  • "Vou pedir a alguém que dê esta notícia por mim". Jornalista emociona-se com o caso dos bebés mexicanos separados das famílias
    0:49