sicnot

Perfil

Mundo

São Tomé disputa a segunda volta das presidenciais

Os são-tomenses vão este domingo às urnas para a segunda volta das eleições presidenciais a que concorre apenas um candidato, depois do segundo mais votado na primeira volta ter desistido do escrutínio, em protesto contra a organização do processo eleitoral.

Evaristo de Carvalho, o candidato apoiado pelo partido no poder, a Ação Democrática Independente (ADI) foi o mais votado na primeira volta, realizada no passado dia 17 de julho e tem a eleição garantida, depois de Manuel Pinto da Costa, Presidente da República, ter recusado submeter-se novamente a votos, argumentando que "participar num processo eleitoral tão viciado seria caucioná-lo".

Patrice Trovoada, primeiro-ministro e líder da ADI já reconheceu que uma segunda volta com apenas um candidato não ajuda à imagem do país.

Esta segunda volta das presidenciais realiza-se num ambiente de crescente crispação política, com os três partidos da oposição parlamentar, numa ação concertada, a retirarem os seus membros da Comissão Eleitoral Nacional (CEN) e das comissões eleitorais distritais, acusadas de envolvimento na fraude que, de acordo com a oposição, procura "colocar no poder a qualquer custo" Evaristo de Carvalho.

O protesto estendeu-se à sociedade civil, com a realização de vigílias em frente de tribunais e manifestações organizados pela oposição a marcarem os últimos dias no arquipélago.

Também o enviado especial do secretário-geral da ONU para a África Central, Abdoulaye Bathili, que terminou sexta-feira uma visita de três dias ao arquipélago, manifestou-se apreensivo com a situação em São Tomé, e pediu aos atores políticos para encontrarem uma solução para a crise política dentro de uma atmosfera de "diálogo e vontade política".

Na primeira volta, Evaristo de Carvalho foi o mais votado com 34.522 votos (49,88%), seguido de Manuel Pinto da Costa com 17.188 votos (24,83%) e Maria das Neves com 16.828 (24,31%).

Num universo de 111.222 votantes, foram às urnas 71.524, que corresponde a 64,31% de afluência, havendo 35,69% de abstenções, equivalente a 39.698 não votantes.

Relativamente aos outros dois candidatos presentes na primeira volta, Manuel do Rosário obteve 478 votos (0,69%) e Hélder Barros 194 (0,28%).

Foram ainda apurados 641 votos em branco (0,90%) e 1.673 nulos (2,34%).

Lusa

  • Incêndio em Lisboa faz um ferido
    4:13

    País

    Um incêndio de grandes dimensões deflagrou esta segunda-feira numa loja, na Avenida de Berlim, em Lisboa. O repórter André Palma esteve no local, onde ouviu o comandante dos Sapadores Bombeiros de Lisboa. Pedro Patricio confirmou que foi assistida uma pessoa por inalação de fumos e, por questões de segurança, os veículos estacionados perto do local foram retirados, assim como foi pedido às pessoas dos prédios à volta que saíssem por causa do fumo. O incêndio foi dominado.

  • "Rui Rio avisou que vinha para partir loiça dentro do PSD"
    3:00
  • Hugo Soares não deverá continuar como líder parlamentar do PSD
    3:17

    País

    Rui Rio não deverá manter Hugo Soares na liderança parlamentar do PSD. Fonte próxima do novo presidente social-democrata diz à SIC que dificilmente o líder da bancada poderá continuar no cargo. Aumenta a pressão para que Hugo Soares ponha o lugar à disposição e já começam a surgir nomes para o substituir.

  • Suspeita de militantes fantasma no PSD
    4:22

    País

    Perante a suspeita de militantes fantasma e de caciquismo, Salvador Malheiro, diretor de campanha de Rui Rio, diz que o ato eleitoral foi devidamente fiscalizado. Uma investigação do jornal Expresso encontrou oito filiados numa morada que não existe e 17 militantes com morada numa casa onde vivem nove pessoas e nenhuma é do PSD. A associação cívica Transparência e Integridade fala num vazio legal e em falta de regulamentação.

  • Cristiano Ronaldo está insatisfeito com o salário e pode sair do Real Madrid
    2:38