sicnot

Perfil

Mundo

Dezasseis anos depois, Irom Sharmila deverá acabar com greve de fome

​A indiana Irom Sharmila, em greve de fome há 16 anos, deverá pôr fim ao protesto na terça-feira, para se casar e se candidatar a eleições regionais como independente.

A greve de fome de duração sem precedentes fez da indiana de 44 anos -- mantida sob custódia policial, acusada de procurar o suicídio -- um ícone internacional da defesa dos direitos humanos, que o anunciado salto para a política está a ensombrar.

Sharmila é alimentada à força, por uma sonda no nariz, no hospital-prisão Jawaharlal Nehru, em Imphal, capital do estado de Manipur, região pela qual decidiu candidatar-se, como independente, às eleições de 2017.

Em greve de fome desde 5 de novembro de 2000, em protesto contra o assassinato, às mãos do exército indiano, de dez pessoas que estavam numa paragem de autocarro da povoação de Malom, no estado de Manipur, Sharmila dedicou 16 anos de vida a combater a Lei dos Direitos Especiais das Forças Armadas, aprovada em 1958, que permite ao exército central atuar à margem do sistema judicial na região nordeste da Índia, onde proliferam os grupos secessionistas armados.

A Amnistia Internacional diz tratar-se de uma lei que permite às forças de segurança "executar e torturar com impunidade".

O irmão mais velho de Irom Sharmila, Singhjit, que também dedicou 16 anos a defender a causa da irmã, que não vê há dois meses, lamentou que ela não lhe tenha comunicado a decisão antes.

"Se soubesse, poderia tê-la aconselhado", disse à agência espanhola EFE, acompanhado pela mãe, que não vê a filha mais nova (de nove irmãos) desde que ela iniciou a greve de fome, pois prometeu que não o faria até que a lei que motivou o protesto fosse anulada.

Foi com surpresa que a Índia e o mundo receberam o anúncio, a 26 de julho, de que Sharmila abandonaria a greve de fome a 9 de agosto, esta terça-feira. "Não sabemos o que se passa na sua cabeça, nem conseguimos falar com ela desde então ", contou à Efe Babloo Loitongban, ativista e porta-voz de Sharmila desde o início da greve de fome.

Sharmila anunciou uma mudança de estratégia, que passa por se apresentar às eleições de 2017 e por se casar -- não disse com quem, mas a imprensa indiana fala em Desmond Coutinho, goês nascido no Reino Unido, com quem mantém uma relação há alguns anos, criticada por ter escolhido um homem "não local".

Se tudo correr como previsto, a "dama de ferro de Manipur" chegará na terça-feira de manhã ao complexo judicial de Cheirap, em Imphal, do qual sairá em liberdade, após anunciar o fim da sua greve de fome, perante o juiz.

Loitongban reconheceu que os ativistas vivem "uma grande incerteza" neste momento e realçou que Sharmila não poderá dar o salto para a política sozinha, sem o apoio da base social que a acompanhou, até agora, no seu protesto.

Os partidos de esquerda locais já apelaram a Sharmila para que continue com a greve de fome, enquanto políticos saudaram a sua decisão de se candidatar às eleições e ativistas dos direitos humanos prometeram respeitá-la.

Lusa

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • "O ministro não escondeu nem tapou"
    1:20

    Economia

    Pedro Santana Lopes falou pela primeira vez sobre a auditoria feita à Santa Casa no período em que foi provedor. Esta terça-feira, na SIC Notícias, Santana Lopes desvalorizou as irregularidades e defendeu o ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, Vieira da Silva.

    Pedro Santana Lopes

  • Constitucional chumba algumas normas da lei de barrigas de aluguer

    País

    O Tribunal Constitucional chumbou algumas normas do acórdão sobre as barrigas de aluguer. De acordo com o Expresso, a decisão já foi comunicada à Assembleia da República. A obrigatoriedade da regulamentação da lei ser feita pelo Parlamento e não pelo Governo terá sido unânime.

  • A história do bebé que continua a lutar pela vida depois de terem desligado as máquinas

    Mundo

    Alfie Evans sofre de uma doença cerebral degenerativa. A sua condição levou o caso à justiça e, depois de uma batalha judicial entre os pais e o hospital, os juízes determinaram que as máquinas do suporte artificial de vida fossem desligadas. Apesar de os aparelhos terem sido desligados na segunda-feira à noite, segundo os pais, a criança de 23 meses continua a lutar pela vida, respirando sozinha.

    SIC

  • O 10 de julho de 1941 na escrita de João Pinto Coelho
    15:09
  • Chegaram os brinquedos de cartão para a consola
    6:24
  • Marinha resgata 138 migrantes ao largo de Lampedusa

    País

    A fragata da Marinha portuguesa D. Francisco de Almeida resgatou esta terça-feira, ao largo da ilha de Lampedusa, em Itália, 138 migrantes, entre eles 15 mulheres e oito bebés, disse à Lusa fonte do Estado-Maior-General das Forças Armadas.

  • O recado de Donald Trump à Coreia do Norte 

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, exortou Pyongyang a eliminar todo o seu arsenal nuclear, precisando o que queria dizer exatamente ao apelar para a "desnuclearização" do regime totalitário, antes de uma aguardada cimeira com o líder norte-coreano.

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17