sicnot

Perfil

Mundo

Estudo revela que 20% dos pais alemães arrependem-se de ter filhos

© Hannibal Hanschke / Reuters

Um em cada cinco pais e mães na Alemanha arrependem-se de terem tido filhos e optariam por viver sem descendentes se pudessem escolher novamente, concluiu um estudo alemão.

"Eu arrependo-me bastante de ter tido um filho", disse uma mãe que respondeu ao inquérito conduzido por Holger Geissler e Sonja Laude da YouGov, uma empresa de pesquisas de mercado 'online'.

O estudo, publicado no final de julho, perguntou a 2.045 pessoas se prefeririam viver sem filhos caso pudessem optar novamente e o resultado mostrou que 19% das mães e 20% dos pais escolheriam não ter filhos, apesar de 77% dos pais afirmarem que a experiência da parentalidade é motivo de satisfação.

"É importante referir que a maioria dos 20% é considerada ambivalente, ou seja, por um lado os pais arrependem-se de terem tido filhos por várias razões, mas por outro também veem coisas positivas na parentalidade porque amam os seus filhos", disse Holger Geissler em entrevista à agência Lusa em Berlim.

Geissler referiu que as razões para o arrependimento estão relacionadas com carreira e desenvolvimento pessoal.

"Eles têm a perceção de que as suas carreiras teriam sido muito melhores caso não tivessem filhos", disse Geissler, acrescentando que o estudo mostra que 44% das mães e 20% dos pais apontaram a carreira como fator de arrependimento.

O desenvolvimento pessoal também influenciou as respostas ao inquérito, com 52% a dizerem que tiveram momentos das suas vidas restringidos pela parentalidade.

Geissler acrescentou que "a percentagem de pais e mães solteiros arrependidos é maior" quando comparada com progenitores que criaram os filhos com um parceiro, tal como entre famílias com baixos rendimentos, em comparação com famílias com uma vida mais desafogada.

Pais considerados jovens, entre os 18 e 24 anos, tiveram níveis de arrependimento mais altos do que pais mais velhos, mostra o estudo. A idade média de nascimento do primeiro filho na Alemanha é de 28 anos.

O investigador referiu que "a principal coisa a ser feita [por parte do governo] é melhorar o apoio aos pais por parte de instituições como colégios", já que 64% dos entrevistados manifestaram a opinião de que a Alemanha tem poucas opções de locais onde deixar as crianças enquanto os pais trabalham.

"Em algumas zonas da Alemanha é realmente muito difícil encontrar um jardim-de-infância para crianças até um ano de idade. No estudo, quem teve problemas com creches, tem mais probabilidade de se arrepender", referiu Holger Geissler, pai de quatro crianças.

O investigador disse que a equipa ficou surpreendida com o facto de a percentagem de homens e mulheres que se arrepende de ter tido filhos ser muito semelhante porque "apesar de não termos uma grande pressão social na Alemanha para as mulheres terem filhos, ainda existe alguma, no sentido de que uma mulher é vista como completa apenas depois de ter sido mãe".

Números do Departamento Federal de Estatística da Alemanha (Destatis) indicam que 2015 nasceram mais crianças na Alemanha do que nos 15 anos anteriores, mas a taxa de natalidade alemã permanece entre as mais baixas do mundo, ficando abaixo de países como o Japão.

Lusa

  • A fábrica de caças na base aérea de Monte Real
    3:35
  • Comprar ou arrendar casa?
    8:25
  • Fui contactado por um espectador do “Contas-Poupança” (quartas-feiras, Jornal da Noite, SIC) e leitor do blogue www.contaspoupanca.pt, que foi surpreendido com uma carta do banco a aumentar o spread porque um dos serviços que tinha subscrito tinha sido extinguido. Neste caso específico, a domiciliação de ordenado. Ora, o cliente ficou estupefacto porque não mudou de empresa, não foi despedido nem tinha havido nenhuma alteração no recebimento do ordenado naquela conta.

    Pedro Andersson

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Temer acusado de prejudicar Polícia Federal
    2:36
  • Violência volta às favelas do Rio de Janeiro
    3:21

    Mundo

    As favelas do Rio de Janeiro voltaram aos níveis de violência dos anos 90. A cidade de Deus foi uma das favelas pacificadas que voltou a registar tiroteios diariamente, os moradores falam de situações de trauma e do medo das crianças.

  • Trump interrompe telefonema para elogiar jornalista

    Mundo

    A jornalista irlandesa Caitriona Perry viu-se esta terça-feira envolvida num momento que a própria classificou de "bizarro": um encontro inesperado com Donald Trump, que interrompeu um telefonema com o primeiro-ministro irlandês para... a elogiar.

    SIC

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.

  • Cão corre os EUA a entregar águas aos árbitros em jogos de basebol
    0:20