sicnot

Perfil

Mundo

Explosão num hospital no Paquistão faz mais de 50 mortos

© Naseer Ahmed / Reuters

Pelo menos 53 pessoas morreram e 58 ficaram feridas hoje num ataque bombista suicida contra um hospital de Quetta, no oeste do Paquistão, disse o porta-voz da polícia provincial, Ghulam Akbar

Última atualização às 11:40

O último balanço oficial referia pelo menos 40 mortos e 40 feridos, de acordo com informações do ministro da Saúde da província do Baluchistão, Saleh Baloch.

Ao canal de televisão Geo, o chefe do governo do Baluchistão, Sanaullah Zehri, declarou que este foi um "atentado suicida planeado", referindo-se à "forte explosão" no hospital civil de Quetta, registada pouco depois de ter dado entrada o presidente da Associação de Advogados daquela província paquistanesa, Bilal Anwar Kasi.

"Sabiam que iam atingir o advogado (Kasi) e que outros advogados iriam ao hospital. O suicida acionou as bombas que transportava quando os advogados já estavam no hospital", acrescentou Zehri.

Kasi foi morto a tiro por um grupo de homens não identificado.

Além da explosão, verificou-se uma troca de tiros no hospital, onde se encontrava um grande número de advogados, na sequência do ataque contra Kasi. O tiroteio registou-se cerca das 09:00 (07:00 em Lisboa), de acordo com Ghulam Akbar.

Sanaullah Zehri afirmou que as autoridades desconhecem os autores do ataque, mas sublinhou que os grupos rebeldes estão a escolher "alvos vulneráveis".

Depois da explosão, as autoridades declararam o estado de emergência em todos os hospitais da cidade.

Nos últimos meses, vários advogados foram atacados na província do Baluchistão, região no sudoeste do Paquistão onde atuam grupos armados separatistas, que tomam como alvos as forças de segurança e outras instituições do Estado, além de fações talibãs e grupos extremistas islâmicos.

Há menos de uma semana, o advogado Jahanzeb Alvi foi assassinado por atacantes, que continuam por identificar. Em junho, o diretor da universidade de Direito Amanullah Achakzai foi morto a tiro.

Desde junho de 2014, as autoridades paquistanesas registaram uma descida do número de ataques, na sequência do início da operação antiterrorista das forças de segurança no noroeste do país.

Pelo menos 3.400 rebeldes e 488 militares morreram na operação, de acordo com a agência noticiosa espanhola EFE.

Lusa

  • Meryl Streep mais uma vez candidata a um Óscar

    Óscares 2017

    Aos 67 anos, Meryl Streep soma mais uma nomeação para aqueles que são os prémios mais cobiçados de Hollywood. A atriz foi nomeada pela interpretação em "Florence, Uma Diva Fora de Tom". Esta é vigésima vez que a Academia reconhece o trabalho da atriz, que já levou o Óscar para casa três vezes.

    Miguel Domingos

  • Polanski recusa presidir aos "César" por caso de violação em 1977
    1:55

    Cultura

    Roman Polanski já não vai presidir à cerimónia dos prémios César, o equivalente aos Óscares em França. A decisão de se afastar foi tomada esta terça-feira pelo próprio cineasta, na sequência da polémica em que se viu envolvido assim que foi convidado. Em 1977, Polanski foi acusado de ter violado uma adolescente de 13 anos, na Califórnia, declarando-se culpado. O realizador foi agora pressionado por associações feministas, redes sociais e pela ministra francesa dos direitos das mulheres. O diretor do Festival de Cannes Thierry Fremaux diz que falou com o realizador e acha que não é necessário "adicionar mais problemas ao problema".

  • Marcelo quer fazer mais e melhor no segundo ano de mandato
    0:48
  • "Andem lá com isso!"
    0:42
  • "A Miss Helsínquia é a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza"

    Mundo

    Sephora Lindsay Ikabala venceu o concurso Miss Helsínquia 2017 e, desde então, tem vindo a ser insultada e criticada nas redes sociais. A nigeriana de 19 anos vive na cidade desde criança. "A Miss Helsínquia é literalmente a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza", é apenas um dos muitos comentários que circula nas redes sociais.