sicnot

Perfil

Mundo

Sede da conferência episcopal ortodoxa grega atacada com cocktails molotov

​A sede da conferência episcopal ortodoxa grega, no centro de Atenas, foi alvo de um ataque com cocktails molotov na madrugada de hoje, num novo ataque contra edifícios daquela Igreja.

Segundo informação da polícia, o ataque com quatro bombas incendiárias causou também danos nos veículos que se encontravam estacionados no pátio do edifício.

A polícia está a investigar as identidades dos autores do ataque.

"Não se tolerará nenhum ato de violência", disse num comunicado a porta-voz do governo, Olga Gerovasili, que realçou que a constituição grega garante a liberdade religiosa e a prática da religião sem obstáculos e que o Estado salvaguarda esse direito.

O principal partido da oposição - o conservador Nova Democracia - atribuiu os ataques à ausência de uma convicção clara por parte do partido governamental, o Syriza, de esquerda, que, apesar disso, também condenou os ataques num comunicado.

"Condenamos inequivocamente o incêndio que teve lugar no Mosteiro Petrakis na madrugada de segunda-feira. Ações deste tipo levam a uma intensificação dos reflexos conservadores da sociedade", refere um comunicado do Syriza.

Nas últimas semanas houve vários ataques semelhantes contra igrejas ortodoxas do país, como por exemplo em Atenas, Salónica ou Creta, ainda que não tenham causado graves danos.

Estes ataques não foram reivindicados, mas as autoridades consideram poderem estar relacionados com o despejo de vários edifícios ocupados por ativistas pró-refugiados em Salónica, onde deram alojamento a um grupo de migrantes e refugiados durante meses.

Um destes edifícios era um orfanato que não era usado e que era propriedade da igreja ortodoxa grega. O seu despejo desencadeou um protesto na catedral de Salónica, após o qual foram detidas 26 pessoas.

Os ataques a igrejas por todo a Grécia começaram depois deste incidente.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.