sicnot

Perfil

Mundo

Demitidos mais 2.560 membros do clero muçulmano na Turquia

A Direção dos assuntos religiosos (Diyanet), poderosa instituição pública turca, anunciou o despedimento de 2.560 empregados no âmbito da vasta purga que decorre no país desde o fracassado golpe militar, que Ancara associa ao teólogo Fethullah Gülen.

O ex-imã que se exilou nos Estados Unidos da América em 1999 é acusado de ter organizado a tentativa de golpe de Estado de 15 de julho e a Turquia pede a sua extradição.

Estas 2.560 pessoas juntam-se aos 1.112 empregados da Diyanet que já foram afastados das suas funções, indicou o organismo.

"As comissões criadas para excluir os alegados simpatizantes de Gülen fazem um trabalho rigoroso", acrescenta um comunicado.

A Diyanet, ligada diretamente ao primeiro-ministro, foi instituída para assegurar o controlo do islão sunita, a corrente do islão predominante na Turquia, e é criticada pelos laicos por promover um tratamento discriminatório de outras correntes muçulmanas, em particular a minoria alevi, uma derivação do islão xiita.

Os ministros do culto muçulmano sunita são funcionários pagos pelo Estado. A Diyanet emprega mais de 100.000 funcionários e o seu orçamento é considerável, ultrapassando o concedido a diversos ministérios, incluindo a Saúde.

Dezenas de milhares de funcionários foram destituídos desde o abortado golpe de Estado e após terem sido acusados de ligações ao ex-imã e dirigente da poderosa organização Hizmet (Serviço). A purga visou designadamente o exército, justiça, media e o ensino.

Cerca de 16.000 pessoas foram indicadas e estão detidas, enquanto outras 6.000 permanecem em detenção provisória, referiu o ministro da Justiça, Bekir Bozdag.

Lusa

  • Grupo armado mata 26 cristãos no Egipto
    1:03
  • O "chega p'ra lá" de Trump
    2:35
  • Oliveira Costa "era incompetente para todos os lugares em que eu o vi"
    3:12
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    O caso BPN esteve em destaque no programa Quadratura do Circulo desta quinta-feira. Pacheco Pereira relembrou que os maiores prejuízos são posteriores à nacionalização e responsabiliza José Sócrates. O Jorge Coelho disse que se fez justiça e que é uma prova que o Estado de direito português está a funcionar. Lobo Xavier garantiu também que Oliveira Costa era incompetente por natureza.

  • A promessa e a peregrinação do Presidente no Luxemburgo
    2:28

    País

    O Presidente da República promete voltar ao Luxemburgo até ao final do ano, se houver mais 10 mil portugueses recenseados até julho. Marcelo Rebelo de Sousa participou esta quinta-feira na peregrinação em honra de Nossa Senhora de Fátima, que todos os anos recebe milhares de emigrantes portugueses.

    Enviados SIC

  • Álcool é "de longe" a droga mais consumida pelos portugueses

    País

    O álcool é, "de longe", a substância mais consumida pelos portugueses que responderam ao maior inquérito `online` sobre consumo de drogas, com mais de 14% dos homens a descreveram padrões considerados problemáticos, segundo os resultados hoje divulgados.