sicnot

Perfil

Mundo

Jornalista espanhola atribui deportação da Turquia a denúncia

​A jornalista Beatriz Yubero, colaboradora do diário La Razon, atribuiu hoje a sua deportação da Turquia a uma denúncia ou a um equívoco, sublinhando não existir qualquer outro motivo para a expulsão.

"Estou livre de acusações. Espero que na sexta-feira o embaixador turco esclareça quando posso regressar à Turquia, onde pretendo continuar a minha carreira", escreveu na rede social Twitter.

Em declarações à agência noticiosa espanhola EFE, Yubero afirmou estar a fazer um doutoramento e a colaborar com órgãos de informação espanhóis na Turquia, palco de uma tentativa de golpe de Estado a 15 de julho.

Na semana passada, a jornalista foi detida pela polícia e, apesar de ter ficado esclarecido que não tinha qualquer relação com organizações terroristas, os serviços de imigração turcos expulsaram a espanhola.

Yubero, que publicou informações em órgãos de informação espanhóis sobre a tentativa de golpe de Estado na Turquia, negou ter difundido mensagens no Twitter contra o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan. "É mentira", sublinhou.

Fontes do ministério dos Negócios Estrangeiros espanhol disseram à EFE que a embaixada espanhola em Ancara procurou esclarecer o caso, desde o início, tendo pedido explicações sobre o que estava a acontecer. Esteve também em contacto permanente com a jornalista e com a embaixada turca em Madrid para tentar ultrapassar a situação.

"Não tenho um documento com a ordem de deportação, saí da Turquia sem nenhum documento", nem carimbo no passaporte, afirmou Yubero, acrescentando ter sido uma "vítima colateral" da política de detenções do governo turco, na sequência da tentativa de golpe de Estado.

A organização não-governamental Plataforma em Defesa da Liberdade de Informação (PDLI) anunciou que vai apresentar uma queixa junto da embaixada turca "a condenar a detenção e expulsão" da jornalista e pedir a Ancara que permita o regresso de Beatriz Yubero.

Lusa

  • Moção de censura "dá voz à indignação de muitos portugueses"
    1:13

    País

    O CDS entregou, no gabinete do presidente da Assembleia da República, a moção de censura ao Governo. O deputado Nuno Magalhães diz que o documento é a voz de todos os portugueses que ficaram indignados com a falência dos serviços do Estado nos incêndios e acrescenta ainda que cabe agora aos partidos da esquerda avaliarem se houve falhas e se foram graves o suficiente para censurarem o Governo.

  • "Miúdos de 5 e 6 anos a perguntar: a minha casa ardeu, o meu pai está queimado?"
    4:55
  • Presidente visita zonas afetadas pelos fogos
    2:00

    País

    Numa visita inesperada, o Presidente da República esteve esta manhã em Vouzela, um dos concelhos mais atingidos pelos incêndios. Marcelo Rebelo de Sousa vai estar nos próximos dias no distrito de Viseu.

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • Tondela corta relações institucionais com Belenenses

    Desporto

    O Tondela anunciou esta quinta-feira o corte de relações institucionais com o Belenenses, que vai defrontar no domingo para a nona jornada da I Liga de futebol, na sequência do diferendo pelo não adiamento do jogo devido aos incêndios.