sicnot

Perfil

Mundo

EUA prometem mais 33 milhões de euros para vítimas do Boko Haram

© Luc Gnago / Reuters

Os Estados Unidos vão ajudar com mais 37 milhões de dólares (33 milhões de euros) as populações da região do lago Chade, vítimas da revolta do grupo extremista nigeriano Boko Haram, anunciaram esta quarta-feira diplomatas norte-americanos.

"O Governo norte-americano, através da sua agência de ajuda ao desenvolvimento USAID, dará mais 37 milhões de dólares em complemento da ajuda humanitária que já está a ser disponibilizada" na região, indica um comunicado da missão diplomática dos Estados Unidos da América em Abuja, precisando que o dinheiro se destina sobretudo aos habitantes de Diffa, no sul do Níger.

Washington já disponibilizou 318 milhões de dólares (284,7 milhões de euros) desde 2015 para apoio humanitário na região.

Nas últimas semanas, numerosas organizações não-governamentais pediram uma "mobilização em massa" dos doadores para enfrentar um "desastre humanitário", nomeadamente no Estado de Borno, no nordeste da Nigéria, segundo os Médicos Sem Fronteiras.

"Há grande urgência" para "manter vivas as pessoas" na região do lago Chade, disse Toby Lanzer, coordenador humanitário regional da ONU para o Sahel, quando estimativas do Fundo das Nações Unidas para a Infância indicam que perto de 50.000 crianças se arriscam a morrer de fome até ao fim do ano.

Os EUA são os maiores contribuidores na zona. A semana passada a Comissão Europeia anunciou que a União Europeia juntará 12,5 milhões de euros aos 58 milhões prometidos em meados de julho.

O Boko Haram pretende instaurar um Estado islâmico no norte da Nigéria, maioritariamente muçulmana ao contrário do sul, de maioria cristã.

A sua revolta já causou mais de 20.000 mortos e obrigou mais de 2,6 milhões a deixarem as suas casas, depois de ter começado em 2009 no nordeste da Nigéria, estendendo-se depois ao Níger, ao Chade e aos Camarões.

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.