sicnot

Perfil

Mundo

Rajoy vai submeter proposta do Ciudadanos à comissão executiva do PP

Mariano Rajoy, primeiro-ministro espanhol, com o líder do Ciudadanos, Albert Rivera.

MARISCAL

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, vai submeter à comissão executiva do Partido Popular (PP) as condições apresentadas hoje pelo partido Ciudadanos para apoiar um governo liderado pelo PP.

Rajoy, que se reuniu hoje durante cerca de hora e meia com o líder do Ciudadanos, Albert Rivera, afirmou à imprensa que o encontro permitiu dar "um segundo passo muito importante para que Espanha possa ter governo e para evitar a repetição das eleições gerais".

A reunião da comissão executiva para analisar a proposta foi convocada para quarta-feira 17 de agosto.

O acordo do Ciudadanos (C's, centro-direita) a negociações para um pacto de investidura é "uma boa decisão", disse Rajoy.

Rivera quer que seja definida "data e hora" para a tomada de posse de um governo e, para isso, apresentou ao PP seis condições para uma reforma do sistema democrático e para um reforço da luta contra a corrupção na política.

Rajoy disse considerar este passo "muito importante" e convocou o partido para avaliar a proposta, porque ela contém reformas constitucionais que não pode "decidir sozinho".

"Seremos absolutamente construtivos e quando tivermos feito essa análise falaremos com o senhor Rivera", disse.

As condições hoje apresentadas por Rivera incluem a cessação de funções públicas de qualquer pessoa imputada por corrupção, o fim dos indultos a condenados por corrupção, a reforma da lei eleitoral e a limitação dos mandatos do chefe de governo a oito anos ou duas legislaturas.

Mas, uma vez que o apoio do C's não é suficiente, Rajoy afirmou que vai continuar a tentar que o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) se "junte aos acordos de que Espanha precisa" e repetiu que se o líder socialista, Pedro Sánchez, "mantiver o 'não'", terão de repetir-se as eleições.

A reunião de hoje foi a terceira entre os líderes do PP e do C's desde as eleições de 26 de junho e a segunda desde que o rei propôs a Rajoy que volte a tentar a eleição do governo.

O PP foi o partido mais votado nas eleições de 26 de junho, elegendo 137 deputados num total de 350, mas precisa do apoio do PSOE e do Ciudadanos para poder formar um governo minoritário.

O PSOE ficou em segundo lugar, com 85 deputados, a aliança de esquerda Unidos-Podemos em terceiro, com 71, e o Ciudadanos em quarto, com 32 assentos.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.