sicnot

Perfil

Mundo

UNITA admite recorrer aos tribunais para poder fiscalizar Governo angolano

O grupo parlamentar da UNITA, o maior partido da oposição em Angola, admitiu hoje recorrer aos tribunais para que seja restituído aos deputados o direito de fiscalizar as ações do Executivo angolano, liderado pelo MPLA.

A intenção foi hoje anunciada em Luanda, em conferência de imprensa, a propósito do indeferimento da Assembleia Nacional a um pedido do grupo parlamentar da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) para a constituição de duas comissões parlamentares de inquérito ao incidente em Capupa e à gestão da petrolífera angolana Sonangol, desde junho liderada pela empresária Isabel dos Santos.

A UNITA solicitou a constituição de uma comissão parlamentar de inquérito aos incidentes que envolveu militantes e deputados do partido em Capupa, província angolana de Benguela, em maio, que terminaram com três mortos.

O líder da bancada parlamentar do partido, Adalberto da Costa Júnior, disse que a sua bancada vai contestar a resposta dada pelo parlamento.

A Assembleia Nacional, na sua resposta considera inconstitucional a solicitação da UNITA porque "já não pode realizar inquéritos parlamentares aos atos e atividades do Executivo, bem como das demais instituições públicas".

O maior partido da oposição angolana considera que a Constituição angolana é a lei suprema da República de Angola, por isso a norma constitucional é superior a qualquer norma infraconstitucional, sob pena de gerar inconstitucionalidade.

"Não se pode limitar o mandato de um deputado, a título nenhum. Não se pode alegar um acórdão de um Tribunal Constitucional que limite a soberania do povo, a título nenhum", afirmou o dirigente da UNITA.

Adalberto da Consta Júnior considerou inadmissível que na resposta dada pela Assembleia Nacional, entre outras questões, tenha sido alegada a necessidade de poupança de recursos para o parlamento não efetuar a comissão paramentar de inquérito às questões de Capupa.

O Governo angolano é liderado desde 1975 pelo Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) e para agosto de 2017 estão previstas novas eleições gerais.

Sobre a Sonangol, a Assembleia Nacional argumentou que "pelo facto de o inquérito solicitado pelo Grupo Parlamentar da Unita visar investigar atos de uma entidade pertencente à administração indireta do Estado, superintendida e tutelada pelo Presidente da República e titular do poder executivo e por demais razão é inconstitucional e não pode ser aceite".

Para os deputados da UNITA, não parece sério este argumento, por criar a ideia de que o Presidente da República e a Sonangol são duas entidades distintas do Estado angolano "ou no mínimo duas entidades que gravitam à volta do Estado angolano".

"É verdadeiramente e para todos os efeitos uma estranha formulação", considerou Adalberto da Costa Júnior.

"Quando a Assembleia Nacional, ao nível daqueles que a dirigem, não cumpre com o seu mandato está também a responsabilizar-se pela ida para fora da assembleia do debate que devia ser feito no seu interior. Com isto estamos a dizer que começamos a entender que temos que fazer prosseguimento da busca da justiça através dos tribunais", disse o líder da bancada parlamentar da UNITA.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.