sicnot

Perfil

Mundo

Fidel comemora 90 anos este sábado

Reuters

​Fidel Castro celebra no sábado 90 anos, mas apesar da provecta idade e de estar afastado do poder há uma década, o "pai da revolução cubana" continua a exercer influência e a marcar a identidade coletiva de Cuba.

Num país em crise económica e desafiado pelas consequências de uma nova era marcada pela normalização das relações com os Estados Unidos, o velho inimigo da Guerra Fria, a figura e as palavras de Fidel Castro continuam a ter eco na política e na sociedade cubanas.

Ainda é uma inspiração para os cubanos que querem manter uma ortodoxia revolucionária face à crescente pressão para uma maior abertura política e económica, sobretudo à iniciativa privada.

"Reiteramos o compromisso de permanecermos fiéis às ideias pelas quais lutou ao longo da sua vida", afirmou há poucas semanas o "número dois" do Partido Comunista Cubano (PCC), José Ramón Machado Ventura, durante as comemorações do Dia da Rebeldia Nacional, uma das datas mais importantes do calendário revolucionário da ilha caribenha.

Nas mesmas comemorações - que assinalam a primeira ação armada liderada por Fidel Castro contra o regime de Fulgêncio Batista - Machado Ventura assegurou que "o espírito de resistência", "a fé na vitória incutida pelo exemplo" e "o pensamento dialético" do líder histórico cubano serão mantidos "sempre vivos".

Fidel Castro em Havana, no dia 8 de Janeiro de 1959

Fidel Castro em Havana, no dia 8 de Janeiro de 1959

Reuters

Meses antes de celebrar os 90 anos, Fidel Castro marcou presença, em abril, no VII Congresso do PCC e fez um discurso na sessão de encerramento que soou a despedida.

Naquela que foi a sua última aparição pública, o antigo líder cubano assumiu que nunca tinha esperado viver tanto tempo e lembrou que era mortal como os demais.

"Talvez esta seja a última vez que falo nesta sala. Em breve cumprirei 90 anos, não em resultado de nenhum esforço mas por capricho do destino. Sou como todos os demais: também chegará a minha hora", disse então.

"A todos chegará a sua vez, mas as ideias dos comunistas cubanos permanecerão como prova de que neste planeta, se trabalharmos com fervor e dignidade, podemos produzir os bens materiais e culturais que os seres humanos precisam e devemos lutar incansavelmente para obtê-lo", defendeu na mesma altura.

O El comandante junto ao seu irmão e presidente de Cuba, Raúl Castro, durante o 7º Congresso do partido Comunista em Havana.

O El comandante junto ao seu irmão e presidente de Cuba, Raúl Castro, durante o 7º Congresso do partido Comunista em Havana.

Reuters

Após 47 anos no poder, a 31 de julho de 2006, Fidel Castro decidiu afastar-se devido a problemas de saúde e delegou a liderança do regime cubano ao irmão Raul Castro. A passagem de testemunho seria definitiva dois anos mais tarde.

O único cargo que mantém atualmente é o de deputado pelo município de Santiago de Cuba (leste), para o qual foi reeleito em fevereiro de 2013.

Para assinalar o 90.º aniversário de Fidel Castro, Cuba irá transformar-se no sábado, 13 de agosto, num "grande concerto", anunciaram, em junho, as autoridades culturais da ilha.

Várias iniciativas musicais vão animar várias praças e parques cubanos, que vão contar com a participação de coros de crianças e bandas. O programa das festividades também inclui apresentação de livros, exposições com fotografias inéditas, entre outras atividades culturais.

O programa promovido pelos órgãos do governo e pelas organizações do PCC para o 90.º aniversário do antigo Presidente cubano tem como principal foco as novas gerações, especialmente as crianças.

Bolívia, Equador, Venezuela e China também organizaram iniciativas para assinalar o aniversário da última grande figura comunista no mundo ocidental.

Fidel Alejandro Castro Ruz nasceu a 13 de agosto de 1926, em Birán, uma pequena localidade do município cubano de Mayari, no seio de uma família de origens galegas.

Reuters

Após um longo e conturbado período como opositor do regime de Fulgêncio Batista (na época aliado dos Estados Unidos), o guerrilheiro Fidel Castro, que frequentou Direito na Universidade de Havana, e o seu companheiro de luta Che Guevara chegavam a 1 de janeiro de 1959 a Havana e a Revolução Cubana fazia a sua entrada na História.

Fidel Castro assumiu o poder na ilha e tornou-se numa das figuras mais carismáticas, mas também das mais controversas, da História política do século XX.

Com Lusa

  • O perfil do homicida de Barcelos
    2:42

    País

    Adelino Gomes Briote já tinha sido condenado por ofensas à integridade física da sogra e de uma filha. Em seis meses esta foi a segunda vez que o homem acusado do quádruplo homicídio em Barcelos esteve perante a justiça.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.

  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.

  • Guerra na Síria não dá tréguas
    1:51

    Mundo

    Na Síria e ao mesmo tempo que decorrem novas negociações de paz, a guerra não dá tréguas. As imagens mostram o resultados dos últimos raides aéreos nos subúrbios de Damasco. O balanço provisório é de mais de 30 mortos e pelo menos 50 feridos.