sicnot

Perfil

Mundo

Indonésia diz que "não há lugar" para grupos LGBT

© Nguyen Huy Kham / Reuters

​Um porta-voz da presidência indonésia disse hoje à AFP que "não há lugar" para a comunidade gay no país, depois de defensores dos direitos humanos terem denunciado ataques homofóbicos sem precedentes.

A comunidade lésbica, gay, bissexual e transexual (LGBT) refere que se verifica uma "deterioração" dos direitos adquiridos na sequência de ataques verbais de ministros e membros de organizações islâmicas influentes na Indonésia, indica um relatório da Human Rights Watch (HRW).

Altos funcionários e instituições indonésias foram alvo este ano de ataques publicados de forma sistemática contra a comunidade gay, sublinha o mesmo relatório que se refere aos apelos que pedem, nomeadamente, que os homossexuais venham a ser impedidos de aceder às universidades.

Na sequência dos recentes ataques homofóbicos, responsáveis do Estado indonésio limitaram-se a afirmar que a proteção dos direitos da comunidade homossexual não é uma prioridade.

"Os direitos dos cidadãos em relação ao acesso ao ensino ou à obtenção de bilhete de identidade estão protegidos, mas não há lugar na Indonésia para a proliferação do movimento LGBT", disse à Agência France Presse o porta-voz da presidência, Johan Budi.

Entretanto, vários ministros têm lançado "ataques verbais" que visam a comunidade homossexual, entre os quais o titular da pasta do Ensino Superior que defendeu a aplicação da interdição a organizações LGBT aos recintos universitários.

O ministro da Defesa descreveu a atitude dos grupos LGBT pela defesa de direitos como uma "espécie de guerra moderna".

O relatório da organização Human Rights Watch denuncia que a provocação contra os grupos LGBT intensificou-se desde fevereiro tendo-se registado episódios de violência contra as minorias sexuais na Indonésia.

"O impacto da retórica anti-LGBT por parte dos representantes governamentais é muito forte" disse uma defensora dos direitos das lésbicas referindo-se ao relatório da Human Rights Watch acrescentando que na Indonésia se estão a "dar passos a trás" no que diz respeito aos direitos fundamentais.

Lusa

  • Biológicos nas escolas e nos telemóveis

    País

    O Governo vai criar o Dia Nacional da Alimentação Biológica e uma estratégia que passa por distribuir produtos biológicos nas escolas e criar uma aplicação móvel para os portugueses poderem localizar unidades de produção ou comercialização de produtos biológicos, segundo a Estratégia Nacional que será hoje apresentada.

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.