sicnot

Perfil

Mundo

Polícia brasileira faz grande operação em complexo de favelas no Rio de Janeiro

Complexo de favelas da Maré, Rio de Janeiro

© Ricardo Moraes / Reuters

A polícia brasileira está a fazer uma grande operação no complexo de favelas da Maré, no Rio de Janeiro, um dia depois de agentes da Força Nacional, destacados para fazer a segurança dos Jogos Olímpicos ali terem sido baleados.

Segundo informações da rede de televisão Globo, os acessos à Vila do João e à Vila dos Pinheiros, principais acessos do complexo de favelas, foram bloqueados por carros da Força Nacional por volta das 06:30 locais (10:30 em Lisboa).

As imagens mostram agentes fortemente armados fazendo um cerco nos acessos.

A área também é vigiada por atiradores de elite do Exército brasileiro.

Informações oficiais do Ministério da Justiça confirmaram que operações naquela comunidade estão a ser feitas hoje pela Polícia Federal e pelo Batalhão de Operações Especiais.

Na última quarta-feira um carro da Força Nacional entrou por engano na região. Três policiais que estavam no veículo foram atacados por criminosos que dominam a área, sendo que dois deles acabaram feridos.

Desde o início dos Jogos olímpicos do Rio de Janeiro cerca de 85 mil homens das polícias civil e militar, juntamente com agentes da Força Nacional, patrulham a cidade.

Apesar do reforço policial alguns incidentes de violência continuam a ser registados na cidade.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.