sicnot

Perfil

Mundo

Milhares de venezuelanos vão à Colômbia comprar produtos básicos e medicamentos

Milhares de venezuelanos viajaram este sábado até às regiões colombianas de Norte de Santander e Arauca para comprar produtos básicos e medicamentos escassos na Venezuela.

A viagem decorre naquele que é o primeiro dia reabertura pedonal "controlada e gradual" da fronteira entre ambos os países, encerrada há um ano pelo Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, e reaberta na sequência de um acordo com o seu homólogo colombiano, Juan Manuel Santos, que apelou aos venezuelanos para não acudirem massivamente.

Imagens divulgadas pelas televisões colombianas mostravam que horas antes da abertura, milhares de pessoas estavam concentradas do lado venezuelano da Ponte Internacional Simón Bolívar, que une os dois países, para atravessarem a fronteira, apesar de muitas não terem o "bilhete de identidade fronteiriço".

As rádios locais dão conta de que a fronteira abriu pelas 6:00 (10:30 em Lisboa) e permanecerá aberta até às 20:00 (23:30 em Lisboa) e que nas primeiras horas mais de 12.500 mil cidadãos tinham cruzado a fronteira, inclusive alguns colombianos radicados na Venezuela, como Marco Túlio Berdugo, que há mais de seis meses não consegue medicamentos para tratar uma artrose.

A Venezuela e a Colômbia chegaram a um acordo, na noite da última quinta-feira, para reabrir "de forma controlada e gradual" a fronteira entre os dois países, encerrada há um ano pelo presidente venezuelano, Nicolás Maduro.

"Vamos abrir a fronteira de forma controlada e gradual, isso é o que determinámos", anunciou o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos à margem de um encontro entre Juan Manuel Santos e Nicolás Maduro, na cidade de Puerto Ordáz, no sudoeste da Venezuela.

A Venezuela e a Colômbia partilham mais 2.219 quilómetros de fronteira.

Em julho, mais de 100 mil venezuelanos cruzaram a fronteira com a Colômbia para comprarem produtos básicos e medicamentos escassos na Venezuela, durante dois domingos em que houve uma abertura fronteiriça temporária a peões, segundo as autoridades colombianas.

A 19 de agosto de 2015, Maduro ordenou o encerramento da ponte Simón Bolívar, principal passagem entre a cidade colombiana de Cúcuta e as localidades venezuelanas de San António e Ureña.

Cinco dias depois, as autoridades venezuelanas decretaram o estado de emergência em seis municípios fronteiriços com a Colômbia, justificando a medida com o combate a grupos paramilitares, ao narcotráfico e ao contrabando.

O estado de emergência foi depois estendido a 20 municípios, abrangendo os estados venezuelanos de Táchira, Zúlia e parte de Apure, o que levou ao fecho de toda a fronteira.

Desde o encerramento da fronteira, mais de 1.355 colombianos foram repatriados e mais de 19 mil abandonaram a Venezuela voluntariamente, segundo fontes não oficiais.

Lusa

  • Sismo abala centro de Itália

    Mundo

    A capital da Itália foi esta manhã sacudida por três sismos em apenas uma hora, de entre 5,3 e 5,7 na escala de Richter, não havendo até ao momento registo de vítimas.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Bebé nasce na Ucrânia com ADN de três pais

    Mundo

    Nasceu a 5 de janeiro, na Ucrânia, uma menina filha de um casal infértil graças à ajuda de uma nova técnica de fertilização in vitro, que conta com a colaboração de uma terceira pessoa. De acordo com o britânico The Times, os médicos utilizaram pela primeira vez um método denominado transferência pronuclear. Esta não é, contudo, a primeira vez que nasce um bebé com ADN de três progenitores.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".