sicnot

Perfil

Mundo

Deslocados no sul do Afeganistão que necessitam de ajuda urgente já são 25 mil

Vinte e cinco mil civis estão deslocados em Helmand, no sul do Afeganistão, devido aos combates entre as forças afegãs e os rebeldes, e necessitam de ajuda urgente, apesar da reabertura de uma rota chave.

Apesar do controlo da estrada estar desde sábado nas mãos das forças de segurança, esta via não foi reaberta ao tráfego devido ao facto de os talibãs terem colocado minas terrestres, disse à agência noticiosa Efe o diretor provincial do departamento afegão para os Refugiados, Naqib Zmaryal.

O responsável assegurou que a reabertura ao tráfego está prevista para a próxima terça-feira, depois das forças de segurança terem eliminado os explosivos que estão colocados entre a capital provincial, Lashkargah, e a vizinha província de Kandahar, que durante seis dias esteve sob controlo dos talibãs.

"Projetamos distribuir dinheiro a algumas famílias deslocadas nos próximos dias, para que possam comprar elas próprias o que necessitam, desde que recebamos ajuda de Kandahar", disse a mesma fonte.

"Os problemas desta pobre gente crescem diariamente", sentenciou Zmaryal.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.