sicnot

Perfil

Mundo

Pânico no aeroporto JFK em Nova Iorque após falso alarme de disparos

Pânico no aeroporto JFK em Nova Iorque após falso alarme de disparos

Rumores da ocorrência de tiros provocaram momentos de pânico no principal aeroporto de Nova Iorque na noite de domingo, e levaram as autoridades aeroportuárias a evacuar pelo menos dois terminais. Centenas de passageiros ficaram bloqueadas durante mais de duas horas no terminal 1 do aeroporto internacional John F. Kennedy. O pânico generalizou-se depois de a polícia ter mandado os passageiros deitarem-se no chão, antes de serem retirados do local.

Segundo as autoridades de Nova Iorque e Nova Jersey citadas pela AFP, uma investigação preliminar concluiu que não tinham sido efetuados disparos e que não havia feridos. Dois terminais foram evacuados por precaução.


A investigação continuava em curso e polícias foram destacados para os aeroportos JFK e La Guardia. O porta-voz Joe Pentangelo disse que as informações dos disparos eram, segundo a polícia da Autpridade Portuária, "infundadas".

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida