sicnot

Perfil

Mundo

FBI entregou ao Congresso documentos relacionados com investigação a Hillary Clinton

O FBI entregou esta terça-feira a um comité do Congresso norte-americano documentos confidenciais relacionados com a investigação a Hillary Clinton pelo uso da conta de e-mail privada para tratar de assuntos de interesse nacional enquanto secretária de Estado.

O Comité de Supervisão do Governo da Câmara Baixa assegurou, em comunicado, ter recebido "uma série de documentos" relacionados com a investigação da polícia federal norte-americana sobre as ações da candidata democrata à Presidência dos Estados Unidos.

"O Comité está a rever agora a informação classificada como secreta. Não há mais detalhes para divulgar", refere a curta declaração.

O Comité, presidido pelo congressista republicano Jason Chaffetz, pediu para ter acesso às notas tiradas pelo FBI durante o interrogatório de três horas que fez a Hillary Clinton, a 02 de julho.

Ao concluir a investigação no início de julho, o diretor do FBI qualificou como "extremamente descuidado" a forma como Hillary Clinton fez as suas comunicações quando foi titular da pasta dos Negócios Estrangeiros, entre 2009 e 2013.

Apesar disso, o FBI recomendou que não fosse apresentada queixa contra Hillary Clinton, um conselho que o Departamento de Justiça norte-americano respeitou.

Mas, a oposição republicana continua a resistir ao encerramento do caso e asseguram que Hillary Clinton mentiu, sob juramento, quando testemunhou em outubro perante o Congresso sobre o uso do correio eletrónico.

A polémica com o correio eletrónico de Hillary Clinton começou no início de 2015, quando a imprensa norte-americana revelou que quando era secretária de Estado utilizou a dado momento a sua conta de 'email' pessoal, com um servidor privado, para fazer determinadas comunicações.

Hillary Clinton reconheceu que deveria ter sido "mais inteligente" e usar a conta de 'email' oficial e entregou 55.000 páginas de correio ao Departamento de Estado, que o reviu e tornou públicos milhares, tendo concluído que cerca de 2.000 tinham informação confidencial.

Lusa

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.