sicnot

Perfil

Mundo

Sete civis mortos na Arábia Saudita por roquete disparado do Iémen

Um roquete disparado por rebeldes iemenitas para a Arábia Saudita provocou a morte de sete civis, referiu esta terça-feira a agência de defesa civil.

Aquele foi o número mais elevado de vítimas civis registado no sul do reino, desde que uma coligação, liderada pela Arábia Saudita, iniciou uma intervenção militar no Iémen.

"Provocou a morte a quatro civis e três residentes", disse o porta-voz da defesa civil da cidade de Najran.

Segundo a mesma fonte, o pessoal da emergência foi alertado às 17:00 locais (15:00 em Lisboa), depois de terem sido informados que um "roquete militar disparado do Iémen atingiu a cidade de Najran".

Na segunda-feira, 11 pessoas foram mortas e 19 ficaram feridas num ataque aéreo, da coligação liderada pela Arábia Saudita, no Iémen que atingiu um hospital dos Médicos Sem Fronteiras.

O ataque ocorreu numa região controlada pelos rebeldes no norte do país.

Os Estados Unidos manifestaram a sua preocupação depois de ter sido anunciado o bombardeamento do hospital, mas sem condenarem explicitamente a coligação árabe liderada pela Arábia Saudita.

Washington tem apoiado desde o início do conflito, em março de 2015, a coligação liderada por Riade, continuando a vender equipamento de defesa à Arábia Saudita.

A coligação árabe tem intensificado os ataques a posições dos rebeldes desde o fim das conversações de paz no Kuwait, no passado dia 6 de agosto.

Lusa

  • Resgatada mais uma criança com vida após sismo em Itália
    0:30
  • Ilibados trabalhadores castigados por consulta de dados fiscais

    País

    Os funcionários da Autoridade Tributária, que tinham sido castigados por terem consultado dados fiscais, foram absolvidos. O jornal Público avançou hoje que as orientações contra as sanções a aplicar aos funcionários partiram do ex-secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Repórteres fazem relato impressionante dos acontecimentos em Charlottesville
    3:40