sicnot

Perfil

Mundo

Nicolás Maduro declara-se em "guerra" pela presidência do Mercosul

O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, declarou-se esta quarta-feira em "guerra" contra a Argentina, Brasil e Paraguai pela presidência do Mercado Comum do Sul (Mercosul), organismo cuja liderança a Venezuela reivindica.

"Vamos lutar para salvar o Mercosul da tripla aliança da ultradireita que pretende destruí-lo a partir do interior", disse Maduro num discurso transmitido pelo canal estatal Venezuelana de Televisão (VTV).

Nicolás Maduro denunciou que, segundo o ministro de Relações Exteriores uruguaio, Rodolfo Nin Novoa, o Governo interino do Brasil tentou comprar o Uruguai para forçar uma "saída ilegal" da Venezuela do Mercosul, impedindo Caracas de exercer a presidência rotativa daquele organismo.

Na sua intervenção, o chefe de Estado venezuelano agradeceu ao seu homólogo uruguaio, Tabaré Vásquez, "a forma moral que tem demonstrado" perante as alegadas pressões do Presidente interino brasileiro Michel Temer.

Nicolás Maduro instou o Paraguai, Argentina e Brasil a debaterem a situação do seu país, insistindo que desde a adesão (04 de julho de 2006) a Venezuela cumpriu com mais requisitos do Protocolo de Adesão ao Mercosul que alguns dos países fundadores.

No passado dia 06 de agosto, a Venezuela içou a bandeira do Mercosul e emitiu um comunicado a sublinhar que assumira a presidência rotativa da organização, acusando ao mesmo tempo Argentina, Paraguai e Brasil de "boicote" contra Caracas.

Antes, a 29 de julho, a Venezuela anunciou que assumia a presidência rotativa do Mercosul, depois de o Uruguai, em comunicado, dar por concluída a sua gestão de seis meses, sem anunciar a qual país membro da organização passava a pasta.

O Brasil informou os outros três Estados-membros do Mercosul (Uruguai, Paraguai e Argentina) que entendia que a presidência rotativa estava "vaga", por não haver consenso relativamente à Venezuela.

O Paraguai anunciou ser contra a possibilidade da Venezuela dirigir o Mercosul, e a Argentina afirmou que não reconhece a presidência venezuelana da organização.

Lusa

  • Traço contínuo às curvas
    2:42
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Cristas calcula défice de 3,7% sem "cortes cegos" das cativações
    0:45

    Economia

    Assunção Cristas diz que o défice de 2,1% só foi conseguido porque o Governo fez cortes cegos na despesa pública. Esta manhã, depois de visitar uma unidade de cuidados continuados em Sintra, a presidente do CDS-PP afirmou que, pelas contas do partido, sem cativações, o défice estaria nos 3,7%.

  • Reservas de viagens na Páscoa e no verão aumentaram
    1:19

    Economia

    As reservas de viagens no período da Páscoa e do verão aumentaram este ano, tanto para o estrangeiro como para dentro de Portugal. O Algarve, a Madeira e os Açores continuam a ser os destinos de eleição. Os portugueses estão também a marcar férias com mais antecedência, uma das receitas para conseguir melhores preços.

  • Escada rolante inverte sentido e varre dezenas de pessoas
    1:15
  • Sol influencia alterações climáticas na Terra

    Mundo

    As flutuações da atividade solar têm um efeito sobre o clima da Terra, concluiu um estudo de investigadores suíços, que conseguiu, pela primeira vez, estimar a influência do Sol no aquecimento do planeta.