sicnot

Perfil

Mundo

Departamento de Justiça dos EUA vai encerrar prisões privadas

O Departamento de Justiça norte-americano anunciou esta quinta-feira que vai encerrar as prisões privadas para deter prisioneiros federais, acabando com uma prática que se tornou cada vez mais controversa.

A decisão vai afetar apenas uma pequena parte da população dos detidos nos Estados Unidos.

Aquele país tem em prisão um em cada quatro prisioneiros do mundo.

Num memorando interno divulgado pelo Departamento de Justiça, a Procuradora-Geral adjunta, Sally Yates, disse que vai ser iniciado o processo para acabar com o uso pelo Governo federal de prisões privadas, que se revelaram mais problemáticas e dispendiosas do que as geridas pelas autoridades.

A decisão vai afetar 13 prisões privadas com cerca de 22.000 presos ou cerca de 11% dos prisioneiros federais, principalmente estrangeiros.

Lusa

  • Fogo na baixa do Porto provoca quatro feridos, dois em estado grave
    1:38

    New Articles

    Um incêndio em três habitações na baixa do Porto, que deflagrou esta noite, provocou quatro feridos, dois em estado grave. O fogo que foi extinto pelos Bombeiros Sapadores do Porto causou cinco desalojados, dos quais quatro foram acolhidos por familiares e um realojado pela junta de freguesia. Desconhece-se a origem das chamas que destruíram três casas.

  • O primeiro dia de Donald Trump na Casa Branca
    3:05
  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.