sicnot

Perfil

Mundo

Exame aos olhos poderá diagnosticar precocemente doença de Parkinson

© Lucy Nicholson / Reuters

Um exame para detetar alterações ocorridas nos olhos, que poderá potencialmente diagnosticar a doença de Parkinson antes do desenvolvimento dos sintomas, foi criado por um grupo de investigadores britânicos, noticiou esta quinta-feira a BBC.

Cientistas da universidade britânica University College London (UCL) divulgaram os resultados de análises - ainda em desenvolvimento - efetuadas em animais, que poderão derivar, eventualmente, numa forma barata e não invasiva de deteção daquela doença.

A doença de Parkinson afeta, presentemente, uma em cada 500 pessoas e é a segunda doença neurodegenerativa mais comum em todo o mundo.

Nas experiências efetuadas em ratos, os cientistas verificaram ser possível observar mudanças na parte posterior do olho antes da manifestação de sintomas visíveis da doença.

De acordo com a responsável do estudo, Francesca Cordeiro, esta descoberta implica "um avanço potencialmente revolucionário nos diagnósticos e tratamento precoce de uma das doenças mais debilitantes do mundo".

"Estes exames implicam que poderemos ser capazes de intervir muito antes e de forma mais eficaz para tratar as pessoas que sofrem desta condição devastadora", explicou Cordeiro à cadeia britânica.

Entre os sintomas da doença contam-se tremores nas mãos, braços, pernas e queixo, rigidez muscular, lentidão de movimentos e dificuldades de coordenação e equilíbrio, o que reduz progressivamente a qualidade de vida do doente.

Atualmente não existe qualquer imagem digital cerebral ou análise sanguínea que possa resultar num diagnóstico definitivo para a doença de Parkinson.

O diretor da organização de combate à doença Parkinson UK, Arthur Roach, disse existir uma "necessidade urgente de conseguir uma maneira simples e precisa de detetar esta condição, em particular nas fases iniciais".

Roach acrescentou que, embora a investigação se encontre "na sua infância e ainda deva ser testada em doentes de Parkinson, um exame simples e não-invasivo - como um exame aos olhos - poderá ser um significativo passo em frente na investigação de tratamentos que possam erradicar as causas" da doença, "em vez de mascarar sintomas".

Lusa

  • Um novo medicamento para doentes com Parkinson
    1:43

    País

    A Comissão Europeia aprovou a introdução um novo medicamento da Bial para doentes com Parkinson. O medicamento chama-se Ongentys e deverá entrar no mercado europeu ainda este ano, depois de 11 anos de investigação.

  • Parkinson afeta entre 10 mil a 20 mil portugueses
    2:23

    País

    A doença de Parkinson é a segunda mais comum entre as doenças degenerativas e afeta entre 10 mil e 20 mil portugueses. É uma doença causada pela diminuição radical de um neurotransmissor chamado dopamina. O tratamento passa sobretudo pela medicação mas, em certos casos, a cirurgia também pode atrasar esta doença incapacitante e sem cura. Hoje assinala-se o Dia Mundial da Doença de Parkinson.

  • Ouvidas duas explosões junto ao estádio do Besiktas em Istambul

    Mundo

    Duas explosões foram ouvidas este sábado no lado europeu da cidade turca de Istambul, junto ao estádio de futebol do Besiktas, segundo agências de notícias internacionais. Até ao momento, sabe-se que pelo menos 20 pessoas ficaram feridas. A agência Reuters relata fumo a sair do recinto recentemente construído e fala ainda numa troca de tiros audível.

    Em desenvolvimento

  • Não houve negligência médica no caso do jovem em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19