sicnot

Perfil

Mundo

Hollande admite recandidatar-se se tiver hipóteses de ganhar eleições

© Philippe Wojazer / Reuters

O Presidente francês, François Hollande, admitiu, num livro a ser lançado sexta-feira, ter vontade de se recandidatar ao cargo em 2017, mas apenas o fará se tiver hipóteses de ganhar, apesar da sua impopularidade no país.

"Os anos passam sem vida pessoal. Eu sei o que representa... mas o desejo, tenho-o. É a minha inclinação pessoal", afirmou aos autores do livro "Conversas Privadas com o Presidente", os jornalistas Antonin André e Karim Rissouli.

Nas "conversas privadas", François Hollande admitiu que "não escolherá candidatar-se, caso as evidências demonstrem que não existe possibilidade de vitória", sublinhando que a partir dos 60 anos, o tempo conta de forma diferente.

No livro, o chefe de Estado francês admitiu também deixar a política, caso venha a candidatar-se e a perder as próximas eleições presidenciais.

As últimas sondagens realizadas em França são desfavoráveis a François Hollande, criticado até pelos eleitores de esquerda.

Oito em cada dez franceses estão em desacordo com a política seguida pelo Presidente, segundo uma sondagem divulgada no final de julho.

Uma outra sondagem, refere que 73% dos eleitores franceses não querem a reeleição de François Hollande em 2017.

Lusa

  • Obrigada a vir dos EUA, de 3 em 3 semanas, para ver o filho
    2:00

    País

    O episódio de hoje de Vidas Suspensas envolve uma médica dentista norte-americana e um empresário português. Um exemplo do que acontece a muitos portugueses que casam com estrangeiros: quando se divorciam, coloca-se a questão de saber para que país vão os filhos.

    Hoje na SIC

  • "Não era o jogo ideal para estreia do videoárbitro"
    4:50
  • Uma em cada dez crianças já foi vítima de cyberbullying
    10:41
  • "Sou Presidente de uma pátria com os melhores bombeiros do mundo"
    1:20

    País

    O Presidente da Liga dos Bombeiros, Jaime Marta Soares, avisou este domingo o Governo de que os bombeiros admitem usar o machado da paz para fazer a guerra. Marcelo Rebelo de Sousa destacou o orgulho que sente em ser "Presidente de uma pátria que tem os melhores bombeiros do mundo".