sicnot

Perfil

Mundo

Polícia turca lança operação contra suspeitos de financiar Fethullah Gülen

A polícia turca lançou hoje uma operação em Istambul, centro económico, e noutras províncias contra empresas suspeitas de financiarem o clérigo Fethullah Gülen, que as autoridades acusam de instigar o golpe falhado em julho, informou a imprensa local.

​Foram emitidos 187 mandados de prisão no quadro da operação, a segunda desde o início da semana, que visa sobretudo empresários conhecidos, informou a estação CNN-Türk.

Um milhar de polícias levou a cabo a operação durante a madrugada em vários bairros de Istambul, segundo a CNN-Türk.

Na terça-feira, uma operação similar visou empresas conhecidas como sendo próximas do clérigo muçulmano autoexilado nos Estados Unidos desde 1999. Cerca de 100 pessoas ficaram em prisão preventiva.

Na noite de quarta-feira, o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, disse que no quadro da purga massiva lançada na função pública contra os simpatizantes de Gülen, inimigo designado do Presidente Recep Tayyip Erdogan, 40.029 pessoas foram colocadas em detenção, das quais 20.335 acusadas e presas.

Mais de 5.000 funcionários foram demitidos e quase 80.000 foram suspensos, acrescentou durante uma entrevista à estação pública.

Lusa

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.