sicnot

Perfil

Mundo

Carta de Itália provoca impasse na extradição de ex-agente da CIA

A extradição para Itália da ex-agente da CIA Sabrina de Sousa encontra-se num impasse, após as autoridades italianas recusarem a realização de um novo julgamento neste país, disse esta sexta-feira à agência Lusa o advogado de defesa.

O advogado Magalhães e Silva revelou à Lusa que o processo de extradição se encontra parado, depois de o Ministério da Justiça de Itália, na qualidade de autoridade central de emissão do mandado de detenção europeu (MDE), ter remetido uma carta na qual refere que a realização de um novo julgamento, previsto no MDE enviado, não corresponde ao que está previsto no Direito italiano.

Apesar de ter conhecimento da carta que terá chegado a Portugal em julho, e teve de ser traduzida, o advogado ainda não foi, formalmente, notificado do seu teor, altura em que tomará uma decisão na defesa da ex-agente da CIA, disse.

Em junho, a extradição da ex-agente da CIA Sabrina de Sousa, de Portugal para Itália, esteve iminente, depois de esgotados todos os recursos, o último dos quais junto do Tribunal Constitucional (TC), segundo admitiu, na altura, o advogado de Sabrina de Sousa.

O Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) começou por autorizar a extradição da ex-agente da CIA, na condição de que quando esta chegasse a Itália fosse, formalmente, notificada da sentença, tendo um prazo para requerer novo julgamento ou interpor recurso de apelação da sentença, com possibilidade de produção de novas provas, o que daria lugar a uma nova decisão, conforme explicou na altura o advogado.

Caso fosse condenada em Itália, a ex-agente da CIA poderia optar por cumprir a pena em Itália ou em Portugal, onde foi detida, uma prerrogativa que resultou das decisões proferidas pelo Tribunal da Relação e, em sede de recurso, pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ).

Já então, Magalhães e Silva mostrara-se pessimista que Itália cumprisse os requisitos impostos pelo TRL, a avaliar pelas declarações à comunicação social do procurador Lamanna, de Milão, que colidem com o que foi decidido em Lisboa.

O procurador de Milão declarou que Sabrina de Sousa não teria direito a um novo julgamento em Itália, e que iria diretamente para a cadeia quando chegasse ao país.

O "caso" Sabrina de Sousa chegou até ao TC, que validou a extradição da ex-agente da CIA para Itália, após rejeitar as inconstitucionalidades invocadas pela defesa e ao considerar que Itália assegurava as garantias impostas pelo Estado português.

Sabrina de Sousa, de 59 anos, nascida em Goa, na Índia, com dupla nacionalidade (norte-americana e portuguesa), foi condenada à revelia, em Itália, a cinco anos de prisão, por envolvimento no rapto do egípcio e radical islâmico Abu Omar, ocorrido em 2003, em Milão.

A antiga agente da CIA foi detida pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), no aeroporto de Lisboa, em outubro de 2015, no seguimento de um MDE emitido pelas autoridades italianas.

A ex-agente da CIA só esteve detida 24 horas em Portugal, tendo aguardado em liberdade os trâmites do processo de extradição.

Durante o processo, Sabrina de Sousa obteve autorização, mediante caução de 25 mil euros, para viajar para Goa, tendo regressado a Portugal.

A antiga operacional dos serviços secretos norte-americanos foi detida em Lisboa, quando fazia escala na capital portuguesa, rumo ao Dubai, de onde seguiria para Goa, para visitar a mãe, que se encontrava doente.

Lusa

  • Histórias de espionagem dos últimos anos
    2:34

    Mundo

    As histórias de espiões e de espionagem são regularmente notícia e não envolvem apenas a Rússia e os Estados Unidos.Também há espiões portugueses, sem ser o agente do SIS recentemente descoberto. A SIC recorda quatro estórias de espionagem que deram que falar nos últimos anos. Uma das mais conhecidas é a de Sabrina Sousa, operacional da CIA, detida no ano passado.

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • Sociedade de Pneumologia recomenda cuidados com calor e incêndios

    País

    A Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) alertou esta quarta-feira para os riscos respiratórios decorrentes dos incêndios e temperaturas elevadas, sobretudo para quem sofre de doenças crónicas, propondo medidas preventivas e recordando o aumento de mortalidade associado ao calor.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira

  • "Estou grávida! Estou a morrer!"
    1:14
  • Mulher vive sozinha numa ilha há 40 anos

    Mundo

    Zoe Lucas é a única pessoa a viver numa ilha canadiana, no norte do Atlântico. Nas últimas quatro décadas, a mulher de 67 tem partilhado a ilha Sable com cerca de 400 cavalos selvagens e 350 espécies de pássaros.