sicnot

Perfil

Mundo

Europa vira costas a migrantes com incapacidade e vítimas de tortura, denuncia agência

© Alexandros Avramidis / Reuter

​Os migrantes e refugiados com incapacidade ou que foram vítimas de tortura não estão a receber o apoio necessário quando chegam à Europa, denunciou hoje a Agência para os Direitos Fundamentais da União Europeia (FRA).

A Comissão Europeia pediu à FRA que analisasse os direitos fundamentais de migrantes e refugiados que chegam aos sete países da União Europeia (UE) com mais movimento migratório: Áustria, Bulgária, Alemanha, Grécia, Hungria, Itália e Suécia.

"Os procedimentos formais de identificação de pessoas com incapacidade e vítimas de tortura são desadequados", assinala a FRA, num comunicado enviado hoje, frisando que "não existem dados" sobre o número de migrantes e refugiados com incapacidades, nem sobre o tipo de incapacidades detetadas.

Os sete Estados-membros analisados no mais recente relatório da FRA "dispõem de algum tipo de disposições para pessoas com incapacidades nos centros de acolhimento e detenção", incluindo alojamento e instalações apropriadas, cadeiras de rodas, aparelhos auditivos.

Porém, "o apoio formal às vítimas de tortura, por exemplo o acesso a programas de recuperação" não existe em muitos dos referidos centros, denuncia a agência.

A FRA chama ainda a atenção para a dupla desproteção dos migrantes e refugiados com algum tipo de incapacidade, física, psicológica ou outra.

Os obstáculos na identificação das incapacidades têm depois "efeitos significativos" na assistência que os Estados-membros da UE são obrigados a oferecer durante o processo de chegada, registo e asilo.

Realçando que, na UE, as pessoas com incapacidade ou deficiência têm direito, por lei, a "apoio específico", a FRA reconhece que alguns migrantes e refugiados "não divulgam as suas incapacidades a polícia, serviços sociais ou autoridades migratórias, com medo de que possam afetar os seus pedidos de asilo".

Porém, a FRA realça que as necessárias avaliações médicas levam, "muitas vezes, demasiado tempo" a serem feitas, para além de se concentrarem nas incapacidades visíveis.

Ora, "os problemas mentais, relacionados com o trauma, tanto no país de origem, como no percurso de migração, são muito comuns", destaca a FRA, lamentando que a deteção desses casos seja afetada por "falta de recursos e formação desadequada" nos centros de acolhimento e detenção.

"No caso das mulheres, em particular, os problemas de saúde mental estão muitas vezes relacionados com experiências de violência sexual ou de género", precisa a agência.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.