sicnot

Perfil

Mundo

Ministro turco diz que 6.500 espiões tinham ligações a Gülen até 2014

Das 7.000 pessoas que trabalhavam antes de 2014 no setor de espionagem da Turquia, 6.500 tinham ligações a Fethullah Gülen, acusado de ser o "cérebro" da tentativa de golpe de Estado, afirmou esta sexta-feira o ministro do Interior.

Segundo Efkan Ala, até dezembro de 2013 os serviços secretos dependentes do seu ministério estavam infiltrados pela "Organização Terrorista Fethullah Gülen (FETÖ)", designação que o governo utiliza para se referir à estrutura daquele clérigo.

"De 7.000 funcionários, 6.500 eram membros da FETÖ, mas limpámos tudo", afirmou o ministro em entrevista à cadeia televisiva NTV.

Efkan Ala indicou que o serviço de espionagem da 'gendarmaria' -- um corpo de estrutura militar mas sob a dependência do Interior -- "reconstruir-se-á na totalidade", enquanto o serviço secreto principal, conhecido pela sigla MIT, também "sofre, por esta altura, deficiências tanto estruturais como funcionais".

No futuro, o 'grosso' do MIT dedicar-se-á à espionagem externa, mas ainda se debate que papel irá desempenhar internamente, acrescentou o ministro.

Efkan Ala ilustrou ainda a penetração da irmandade criada por Güllen na Administração com o exemplo de chefes de polícia que foram mudados em 74 das 81 províncias da Turquia devido a vínculos ao clérigo, inimigo "número um" do Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, exilado nos Estados Unidos.

As autoridades turcas lançaram uma purga massiva, na sequência da tentativa de golpe de estado de 15 de julho, para afastar e deter apoiantes do movimento de Gülen em cargos na função pública, forças armadas, magistratura, no sistema de ensino e empresas.

A operação tem suscitado fortes protestos no estrangeiro.

Desde o fracassado golpe, aproximadamente 40 mil pessoas foram detidas, das quais 20 mil ficaram em prisão preventiva; enquanto 80 mil funcionários ou professores foram suspensos das suas funções ou expulsos do trabalho.

Hoje mesmo, o Ministério Público de Istambul emitiu um mandado de detenção contra 145 pessoas por supostas ligações à Fethullah Gülen, incluindo 62 académicos ou funcionários de universidades.

A luta de poder entre a irmandade de Gülen e as autoridades estalou em dezembro de 2013.

Lusa

  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lajes
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes. Os passageiros desembarcaram, como registou no Twitter um jornalista da Al-Jazzera que seguia a bordo. Segundo este depoimento, uma pessoa foi levada para o hospital com problemas cardíacos.

  • Óscar do turismo para empresa que gere património de Sintra
    1:51

    Cultura

    A Parques de Sintra ganhou, pelo quarto ano consecutivo, os World Travel Awards na categoria de "Melhor Empresa de Conservação do Mundo". A empresa portuguesa, que gere monumentos, parques e jardins situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz, voltou a ser a única nomeada europeia na categoria, e foi a vencedora entre candidatos de todo o mundo.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.