sicnot

Perfil

Mundo

Paquistanês esfaqueia 17 mulheres em Rawalpindi

Um paquistanês esfaqueou 17 mulheres, no espaço de alguns meses, nas ruas da cidade de Rawalpindi, uma das quais acabou por morrer, tendo sido detido e acusado, anunciou esta sexta-feira a polícia local.

Segundo disse à agência francesa AFP o agente Malik Zulfiqar Hussain, um dos responsáveis pelo inquérito, Muhammad Ali, de 22 anos, justificou os atos como "vingança" por uma madrasta cruel. "Detesto as mulheres, quero vingar-me", terá dito à polícia.

Muhammad Ali terá contado que, após a morte da sua mãe, quando era ainda pequeno, o seu pai casou-se de novo, com uma mulher que o maltratou.

Desde finais de janeiro que Muhammad Ali -- detido este mês e acusado de homicídio e tentativa de homicídio -- atacava mulheres com quem se cruzava na rua, de todas as idades, utilizando uma faca de cozinha. Uma das vítimas, uma enfermeira, acabou por morrer esta semana.

Lusa

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30