sicnot

Perfil

Mundo

Iraque executa 36 condenados pelo envolvimento no massacre de Spiker

© Stringer . / Reuters

As autoridades iraquianas executaram este domingo, por enforcamento, 36 condenados pelo seu envolvimento no "massacre de Spiker", no norte de Tikrit, em que o Daesh assassinou centenas de soldados iraquianos em junho de 2014.

O canal de televisão estatal Al Iraquiya informou que o Ministério da Justiça começou a aplicar a pena de morte a 36 de condenados na prisão de Al Naseriya, na província de Zi Qar, sul do Iraque.

O diário público Al Sabah indicou que as sentenças foram referendadas pelo tribunal e pela presidência iraquiana.

Pelo menos 64 pessoas foram condenadas à morte por aqueles crimes em dois julgamentos cujas sentenças foram divulgadas em fevereiro e julho de 2015.

Quando a base militar de Spiker foi tomada pelo Daesh havia cerca de 1.700 militares, sendo que a maioria deles foi executada pelos jihadistas.

Mais de 500 cadáveres de Spiker foram exumados de valas comuns deste 31 de março de 2015 pelas tropas iraquianas que conseguiram expulsar os jihadistas de Tikrit, assumindo o controlo da região.

Este foi um dos massacres mais graves cometidos pelo Daesh no Iraque e desencadeou ações de vingança das milícias xiitas contra os sunitas, que são acusados de apoiar os jihadistas.

Lusa

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a lider da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleiçoes em vários países, como a Alemanha e a Holanda.