sicnot

Perfil

Mundo

Iraque lança panfletos a avisar de ataque iminente a Al Qayara

Aviões de guerra iraquianos lançaram este domingo milhares de panfletos aos habitantes de Al Qayara, norte do Iraque, a pedir-lhes que abandonem imediatamente a cidade e se afastem das posições do Daesh.

Na cidade, segundo adiantou no sábado o autarca local, Saleh al Yaburi, cerca de 70 mil civis estavam retidos pelo Daesh com a intenção de os usar como "escudos humanos" contra a iminente ofensiva das forças iraquianas para libertar a localidade.

A chefia de operações para a libertação da província de Ninive, que integra Al Qayara, informou em comunicado que dezenas de milhares de panfletos foram lançados para avisar a população dos lugares do Daesh que serão alvo dos ataques da aviação iraquiana.

Os panfletos convidam ainda a população a colaborar com as "forças de libertação" e a cumprir as instruções sobre corredores seguros, assim como a transportar documentos de identidade para mostrarem quando o exército iraquiano chegar à zona.

Também se anuncia aos habitantes de Al Qayara que o "seu sofrimento terminará depois de prolongada paciência" que tiveram com a tomada da cidade pelo Daesh.

"As forças iraquianas têm o Daesh cercado e estão agora à espera de ordens para avançar para a zona de Al Qayara", lê-se nos panfletos.

Com indicação, é dito à população para abandonar a cidade em direção rumo à aldeia de Al Tina e à base aérea de Al Qayara.

A ideia é a de que os habitantes encontrem segurança, tranquilidade, refúgio e ajuda em determinadas zonas, explicou o Ministério da Defesa iraquiano.

O exército iraquiano, apoiado por 700 membros das milícias, mantém bloqueado o acesso à cidade e prepara-se para o assalto militar a este importante reduto do Daesh, situado a 55 quilómetros a sul de Mossul, na província de Ninive.

As forças governamentais já lograram libertar várias localidades da periferia de Al Qayara nos últimos dias.

Mossul está em poder do Daesh desde junho de 2014, quando a organização jihadista proclamou um califado nos territórios conquistados no Iraque e na Síria.

Lusa

  • As escravas do século XXI
    23:08

    Reportagem Especial

    Em dois anos o Daesh já cometeu milhares de crimes de guerra, desde a declaração do seu Califado na Síria e no Iraque. O povo Yazidi é das principais vítimas. Milhares de pessoas assassinadas, normalmente decapitadas, e quase sete mil mulheres e crianças foram transformadas em escravas e vendidas nos mercados. Henrique Cymerman esteve no norte do Iraque com escravas sexuais libertadas recentemente, que apresentam um testemunho do terror.

  • Depois do Fogo
    23:30

    Reportagem Especial

    Foi o incêndio mais mortífero de que há memória. No dia 17 de junho, as chamas apanharam desprevenidos moradores de vários concelhos e fizeram pelo menos 64 mortos. O incêndio prolongou-se durante vários dias deixando um rasto de histórias de perda e de sobrevivência, mas também de solidariedade de um sem número de pessoas anónimas.

  • "A menina agora volta para casa. Nós não." 

    Foi o desabafo do Cesário que me fez escrever qualquer coisa sobre o que vivi na última semana. Eram dez e pouco da noite, tinha acabado a vigília de homenagem às vítimas em Figueiró dos Vinhos e ele ainda tinha na mão um balão branco que àquela hora já só estava meio cheio. Era o último dia de uma longa e dura jornada de trabalho e estávamos a arrumar as coisas para no dia seguinte regressarmos a Lisboa.

    Débora Henriques

  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • "A culpa morre sozinha?"
    0:41

    Opinião

    Luís Marques Mendes não acredita que o Ministério Público não formule uma acusação de homicídio por negligência e que não haja demissões na sequência do incêndio de Pedrógão Grande. O comentador da SIC debateu o tema este domingo no Jornal da Noite da SIC.

    Luís Marques Mendes

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24

    País

    Pedrógão Grande fez reviver o drama vivido pelas gentes da Serra do Caldeirão no verão de 2012. Falta de bombeiros, moradores retirados à força, casas e floresta destruídas são semelhanças que encontram nestes dramas separados por cinco anos.

  • Novo avião da TAP com pintura retro
    0:36

    Economia

    O novo avião da TAP chama-se "Portugal", tem uma pintura retro e vai sobrevoar os céus do pais a partir desta segunda-feira. A companhia aérea explica que o nome e a pintura são uma forma de homenagear a ligação histórica entre a empresa e o país.