sicnot

Perfil

Mundo

Militantes LGBT exigiram justiça pela morte de transexual na Turquia

CEM TURKEL

Cerca de 200 militantes da causa transgénero manifestaram-se este domingo em Istambul para exigir justiça após a bárbara morte de uma transexual no início do mês.

O corpo de Hande Kader, transexual prostituta de 22 anos, foi encontrado mutilado e queimado, num bairro chique de Istambul, uma semana após ter sido vista pela última vez a entrar na viatura de um cliente.

Militante ativa da causa LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgéneros), Hande Kader transformou-se num ícone da comunidade após enfrentar a polícia com canhões de água e balas de borracha quando tentava impedir a marcha do Orgulho Gay, em junho de 2015.

"Justiça para Hande Kader" ou "Lutemos pela nossa sobrevivência" foram palavras de ordem dos manifestantes que percorreram uma artéria central de Istiktal, observados pela polícia que não interveio.

CEM TURKEL

"Iremos lutar até que seja encontrado o responsável pela morte de Hande Kader", declarou um transexual responsável pela comunidade LGBT em Istanbul.

Um outro transexual leu um comunicado explicando que "as mortes dos transexuais são políticas, os responsáveis são aqueles que defendem um sistema +hetero-normal+" e "o sistema educativo conservador que não nos leva em consideração".

Cerca de 40 transexuais foram mortos na Turquia desde 2008, segundo as associações LGBT.

Lusa

  • "Fiz coisas de que me envergonho"
    2:31

    Grande Reportagem SIC

    Carlos Queiroz, ex-selecionador de Portugal, dá-nos uma entrevista forte e transparente. Entrevistámo-lo no Dubai, um lugar que a investigação da SIC coloca no centro do mapa do escândalo do GES/BES. Aqui antecipamos a Grande Reportagem da próxima semana.

    Exclusivo online