sicnot

Perfil

Mundo

Militantes LGBT exigiram justiça pela morte de transexual na Turquia

CEM TURKEL

Cerca de 200 militantes da causa transgénero manifestaram-se este domingo em Istambul para exigir justiça após a bárbara morte de uma transexual no início do mês.

O corpo de Hande Kader, transexual prostituta de 22 anos, foi encontrado mutilado e queimado, num bairro chique de Istambul, uma semana após ter sido vista pela última vez a entrar na viatura de um cliente.

Militante ativa da causa LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgéneros), Hande Kader transformou-se num ícone da comunidade após enfrentar a polícia com canhões de água e balas de borracha quando tentava impedir a marcha do Orgulho Gay, em junho de 2015.

"Justiça para Hande Kader" ou "Lutemos pela nossa sobrevivência" foram palavras de ordem dos manifestantes que percorreram uma artéria central de Istiktal, observados pela polícia que não interveio.

CEM TURKEL

"Iremos lutar até que seja encontrado o responsável pela morte de Hande Kader", declarou um transexual responsável pela comunidade LGBT em Istanbul.

Um outro transexual leu um comunicado explicando que "as mortes dos transexuais são políticas, os responsáveis são aqueles que defendem um sistema +hetero-normal+" e "o sistema educativo conservador que não nos leva em consideração".

Cerca de 40 transexuais foram mortos na Turquia desde 2008, segundo as associações LGBT.

Lusa

  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07