sicnot

Perfil

Mundo

Trump suaviza discurso sobre ilegais e anuncia que vai revelar plano

Gerald Herbert

Donald Trump suavizou este domingo o seu discurso sobre os milhões de ilegais que vivem nos Estados Unidos da América e antecipou que esta semana apresentará um plano para solucionar a sua situação migratória, segundo líderes hispanos com quem se reuniu.

Vários elementos do recém-criado Conselho Nacional Hispânico de Assessoramento, que se reuniram este domingo em Nova Iorque com o candidato republicano à Casa Branca, indicaram à imprensa local que o magnata lhes pediu ideias para ultrapassar o problema dos 11 milhões de indocumentados que se estima que vivam naquele país.

As mesmas fontes adiantaram que o candidato republicano, conhecido pelo ataque feroz aos imigrantes ilegais no Estados Unidos e que classificou de violadores e narcotraficantes os que chegam do México, apresentará na quinta-feira, no Colorado, detalhes sobre o seu projeto.

"Acredito que quinta-feira vamos ter um plano do qual cada latino, republicano ou democrata se possa sentir orgulhoso, por ser uma forma muito realista e bondosa de resolver o problema", afirmou, à NBC News, Jacob Monty, um advogado de imigração que preside à Aliança Judaico-Latina, que participou no encontro.

Com esta reunião com este conjunto de líderes empresariais, civis e religiosos, o magnata pretende relançar a sua debilitada posição nas sondagens junto desta comunidade.

Várias sondagens nacionais situam Trump a 60 pontos abaixo de Clinton na intenção de votos entre os hispanos, com um peso crescente nos Estados Unidos, pelo que o seu apoio é determinante para vencer em estados-chave nas eleições do próximo mês de dezembro.

Alguns participantes no encontro assinalaram que o empresário -- que fez das suas propostas de levantar um muro na fronteira com o México e deportar todos os ilegais alguns dos pontos fortes da sua campanha -- mostrou-se recetivo às suas ideias sobre a imigração.

Entretanto, a nova chefe da campanha de Trump, Kellyanne Conway, afirmou hoje que os planos de deportação massiva de milhões de ilegais, propostos pelo candidato, "estão por determinar" e serão desenvolvidos "nas próximas semanas".

Questionada sobre o conteúdo do plano, Kellyanne Conway limitou-se a resumir as intenções do magnata: "Assegurar que se aplique a lei, que sejamos respeitadores com os norte-americanos que estão à procura de empregos bem remunerados e que sejamos justos e humanos com aqueles que vivem connosco".

Sem adiantar mais detalhes, Kellyanne Conway disse apenas que Trump será mais preciso nas próximas semanas.

Lusa

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John Mccain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06
  • Menos casos de sida em Portugal
    1:44