sicnot

Perfil

Mundo

Trump suaviza discurso sobre ilegais e anuncia que vai revelar plano

Gerald Herbert

Donald Trump suavizou este domingo o seu discurso sobre os milhões de ilegais que vivem nos Estados Unidos da América e antecipou que esta semana apresentará um plano para solucionar a sua situação migratória, segundo líderes hispanos com quem se reuniu.

Vários elementos do recém-criado Conselho Nacional Hispânico de Assessoramento, que se reuniram este domingo em Nova Iorque com o candidato republicano à Casa Branca, indicaram à imprensa local que o magnata lhes pediu ideias para ultrapassar o problema dos 11 milhões de indocumentados que se estima que vivam naquele país.

As mesmas fontes adiantaram que o candidato republicano, conhecido pelo ataque feroz aos imigrantes ilegais no Estados Unidos e que classificou de violadores e narcotraficantes os que chegam do México, apresentará na quinta-feira, no Colorado, detalhes sobre o seu projeto.

"Acredito que quinta-feira vamos ter um plano do qual cada latino, republicano ou democrata se possa sentir orgulhoso, por ser uma forma muito realista e bondosa de resolver o problema", afirmou, à NBC News, Jacob Monty, um advogado de imigração que preside à Aliança Judaico-Latina, que participou no encontro.

Com esta reunião com este conjunto de líderes empresariais, civis e religiosos, o magnata pretende relançar a sua debilitada posição nas sondagens junto desta comunidade.

Várias sondagens nacionais situam Trump a 60 pontos abaixo de Clinton na intenção de votos entre os hispanos, com um peso crescente nos Estados Unidos, pelo que o seu apoio é determinante para vencer em estados-chave nas eleições do próximo mês de dezembro.

Alguns participantes no encontro assinalaram que o empresário -- que fez das suas propostas de levantar um muro na fronteira com o México e deportar todos os ilegais alguns dos pontos fortes da sua campanha -- mostrou-se recetivo às suas ideias sobre a imigração.

Entretanto, a nova chefe da campanha de Trump, Kellyanne Conway, afirmou hoje que os planos de deportação massiva de milhões de ilegais, propostos pelo candidato, "estão por determinar" e serão desenvolvidos "nas próximas semanas".

Questionada sobre o conteúdo do plano, Kellyanne Conway limitou-se a resumir as intenções do magnata: "Assegurar que se aplique a lei, que sejamos respeitadores com os norte-americanos que estão à procura de empregos bem remunerados e que sejamos justos e humanos com aqueles que vivem connosco".

Sem adiantar mais detalhes, Kellyanne Conway disse apenas que Trump será mais preciso nas próximas semanas.

Lusa

  • Prisão preventiva para homicida de Barcelos
    1:43

    País

    O alegado homicida de Barcelos vai ficar em prisão preventiva, por quatro crimes de homicídio. Adelino Briote foi ouvido este sábado de manhã no Tribunal de Braga, depois de na sexta-feira ter alegadamente degolado quatro pessoas na freguesia de Tamel, em Barcelos.

  • Homem suspeito de matar a mulher em Esmoriz

    País

    Um homem é suspeito de ter esfaqueado este sábado mortalmente a mulher em Esmoriz, concelho de Ovar, num contexto de violência doméstica, disse à agência Lusa fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR).

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.