sicnot

Perfil

Mundo

FBI descobre 15 mil novos emails que Hillary Clinton não divulgou

A Polícia Federal norte-americana (FBI) encontrou quase 15 mil novos documentos relacionados com o escândalo dos emails da candidata democrata nas eleições presidenciais nos Estados Unidos Hillary Clinton, divulgaram esta segunda-feira os "media" norte-americanos.

Os novos documentos foram encontrados durante a investigação do FBI (Federal Bureau of Investigation) sobre a utilização indevida de Clinton de um servidor de correio eletrónico privado quando desempenhava o cargo de secretária de Estado (2009-2013), de acordo com a comunicação social norte-americana.

Em 2014, os advogados de Clinton entregaram ao Departamento de Estado 30 mil emails relacionados com o assunto e indicaram que não existiam mais mensagens.

O Departamento de Estado comprometeu-se a publicar os documentos e assegurou hoje ao juiz federal James E. Boasberg, responsável pelo caso, que a agência diplomática está "a dar prioridade" à revisão das novas mensagens.

No entanto, ainda não se sabe se estes emails vão ser publicados antes das eleições presidenciais, agendadas para 08 de novembro deste ano e também disputadas pelo candidato republicano Donald Trump.

Enquanto isso, o porta-voz de Clinton, Brian Fallon, assegurou hoje, num comunicado, que a equipa da candidata presidencial democrata desconhece qual é a natureza dos documentos agora referidos.

"Como sempre dissemos, Hillary Clinton forneceu ao Departamento de Estado todos os emails relacionados com o seu trabalho que estavam na sua posse em 2014. Não sabemos que tipo de material adicional foi encontrado pelo Departamento de Justiça", escreveu Fallon, num breve comunicado.

"Mas se o Departamento de Estado determinar que qualquer um deles [emails] está relacionado com assuntos de trabalho, obviamente que apoiamos que estes documentos sejam divulgados também", acrescentou o porta-voz.

O Partido Republicano reagiu de imediato e o presidente do Comité Nacional Republicano, Reince Priebus, reiterou que "Clinton parece incapaz de dizer a verdade".

"O padrão de desonestidade de Clinton é completamente inaceitável para um candidato que procura o mais alto cargo do país, e a sua recusa em dizer a verdade e a sua pobre capacidade de julgamento é uma amostra de como irá atuar se for eleita presidente", considerou o representante conservador.

O escândalo dos emails surgiu no início de 2015, quando os "media" norte-americanos revelaram que, durante os quatro anos que liderou o Departamento de Estado, Hillary Clinton usou sempre uma conta pessoal de correio eletrónico, através de um servidor privado, para as suas comunicações.

Em julho passado, o FBI recomendou que Hillary Clinton não fosse investigada judicialmente, apesar de concluir no inquérito que a ex-secretária de Estado tinha demonstrado "extrema negligência".

Apesar desta recomendação, o Departamento de Estado norte-americano anunciou, na mesma altura, a reabertura da investigação interna sobre a forma como Hillary Clinton usou o correio eletrónico quando era secretária de Estado.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.