sicnot

Perfil

Mundo

Israel bombardeia posições em Gaza em resposta a disparo de rocket

© Ibraheem Abu Mustafa / Reuter

Aviões de guerra da Força Aérea israelita realizaram bombardeamentos no domingo sobre posições de grupos armados no norte de Gaza, causando dois feridos, em resposta ao lançamento de um rocket contra o sul de Israel, informaram fontes israelitas.

As fontes de segurança palestinianas indicaram que tanques israelitas posicionados na fronteira do nordeste de Gaza e Israel dispararam nove rondas sobre áreas agrícolas na localidade de Beit Hanun, no norte de França, sem causar vítimas.

Testemunhas relataram que aparelhos não tripulados e caças israelitas sobrevoaram a zona e lançaram 15 ataques consecutivos sobre postos e instalações pertencentes ao movimento islamita Hamas, à 'Jihad' Islâmica e à Frente Popular para a Libertação da Palestina.

O porta-voz do Ministério da Saúde em Gaza, Ashraf al Qedra, informou que dois civis ficaram feridos em dois bombardeamentos israelitas e foram levados para o hospital.

Fontes de segurança indicaram que na tarde e noite de domingo o exército israelita realizou bombardeamentos aéreos em Gaza em resposta ao disparo prévio do projétil contra o sul de Israel.

O 'rocket' atingiu uma zona residencial da cidade israelita de Sderot, vizinha de Gaza, sem provocar feridos.

O exército israelita confirmou os últimos bombardeamentos da Força Aérea e num comunicado indicou que tiveram como alvo posições do Hamas no norte da Faixa de Gaza.

A nota afirma também que desde o início de 2016 foram lançados 14 'rockets' a partir de Gaza, afetando Israel.

Uma fação armada salafista assumiu em comunicado a autoria do disparo de quatro 'rockets' contra Israel, um dos quais atingiu Sderot.

Israel e as milícias armadas em Gaza têm respeitado, com alguns altos e baixos, o cessar-fogo que pôs fim ao último conflito bélico na zona, em agosto de 2014.

Lusa

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.